sexta-feira, 28 de novembro de 2014

POEMA MINHAS DORES, MINHA ALMOFADA


 
MINHAS DORES, MINHA ALMOFADA 

Por um poeta, fui cotejada
Os deuses assim quiseram
Minhas dores, minha almofada
Aconteceu, como promoveram
Bafejo de aurora, de alvorada
Anjos e arcanjos favoreceram
Que detivesse o poder de amada
O desejo e o amor me enriqueceram
 Amor de textura amendoada
Presente o que amados construíram
A dor, ao sentir, ficou atordoada
As dores do amor; se lamentaram
Minhas dores, minha almofada
Elas, as dores, me atormentaram
Persistentes, procuraram morada
Com o meu amor, nada puderam
Minhas dores, minha almofada! 

Daniel Costa


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

POEMA ANJO DA ADOLESCÊNCIA


 
ANJO DA ADOLESCÊNCIA 

Mundo de vivência
Segunda encarnação
Anjo da adolescência
 Moderna motivação
Bula de indulgência
Angélica ordenação
Vida em potência
Verdade e determinação
Retomando consciência
Novo século, divinação
Veneranda aderência
Vida de reencarnação
Pensamento em potência
Humana acumulação
Sendo a vida eloquência
Fogosa motivação
Sempre a transparência
A motivar ovação
Motivando larga vigência
Rara pureza de satisfação
Anjo da adolescência
Mundo de fecunda emoção!

Daniel Costa


 

sábado, 22 de novembro de 2014

POEMA VIDA DE OPERETTA



        VIDA DE OPERETTA
Depois do desejo a caneta
O positivismo a vogar,
Vida de operetta
Para a tranquilidade alcançar
Antes do livro a regreta
Depois do alto mar
Jeito de linha reta,
O sonho a epilogar
Dedicado à pandeireta
Para o concerto advogar
Vida de operetta
Abnegadamente, a formigar
Afim; de alcançar a musiqueta
Desejando alguém a me afagar
Neste mundo de cançoneta
Do amor comungar,
Do amor do mundo, paleta,
Com música a serenar
Deveria sempre ser meta,
Prioritária a alcançar,
Vida de operetta!

Daniel Costa


 

terça-feira, 18 de novembro de 2014

POEMA ANJO DO INFINITO


 
ANJO DO INFINITO 

Do poeta veredicto,
Mentor de lealdade
Anjo do infinito,
Desejo de verdade,
Mesmo sabendo do finito,
A soar a humildade
Em tempos introito,
Sem revelar idade
 Parecendo, mesmo, infinito,
No meu país, na minha cidade
Como se fora filho primogénito
Da minha mocidade,
Arreigado no espírito,
Pura habilidade
Espírito indómito
A induzir sagacidade
Ficando o anjo adstrito,
A certa área de apostolicidade
 Ficando, guardião de direito
Com o seu valor em misticidade
Anjo do infinito!

Daniel Costa
 
 

 

sábado, 15 de novembro de 2014

POEMA O ANJO, O AMOR E AQUÁRIO


 
O ANJO, O AMOR E O AQUÁRIO

Imagino um santuário
Descrito com ardor,
O anjo, o amor e o aquário
Tudo isto a ser inebriador
Tudo isto é lapidário
De ternura; incentivador
Talvez o possa ter como lendário
De intenso e fecundo fervor,
O anjo, o amor e o aquário
O anjo aquietador
O amor multipartidário
O aquário, suave animador
Carácter de legionário,
De excelso anjo promissor
O anjo, o amor e o aquário
Um mundo glorificador,
Fecundo, nobiliário
 Audaz e arrebatador,
Na luta, por um amor paritário
Eternamente, de esplendor
Como a ternura dos peixes num aquário
Coisa simples, moderador
O anjo, o amor e o aquário!

 Daniel Costa


 

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

POEMA RAIO DE SOL



RAIO DE SOL

Música em bemol
Festa da música
Raio de sol
De vista acústica
Beleza de flor de girassol,
Flor de justiça
Canto de rouxinol
Encerrando mística
Raio de sol
Fonte artística
Instigando luta em prol,
Luta sem retórica.
Mente guiada por farol
Liberdade estilística
Sem qualquer atol,
De raiz postiça
Chama fumegante de crisol
Balanço de ética
Raio de sol
Sem sombras de hermética
Raio de sol,
Apelo à estética 

Daniel Costa

 

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

POEMA ANJO DE ETERNA LUZ



ANJO DE ETERNA LUZ  

Eterna beleza de cruz,
Cruz de pôr ao peito
Anjo de eterna luz
Amor sem preconceito
Busto que me seduz
Parecendo Divino, perfeito,
Por este mundo me conduz
Formalmente rarefeito
Anjo da eterna luz
Como se fora perfeito
Encanta e seduz
Apresenta certo trejeito
De infinito alcatruz
Sempre benigno, de êxito
Anjo de eterna luz
De imenso amor implícito
Eternamente reluz,
Eternamente neófito
Eternamente conduz
Eternamente benemérito,
Anjo de eterna luz

Daniel Costa
 
 
 
 
 
 
CAPA DO MEU LIVRO, "TOP SECRET OLAVO" , A GRANDE LIÇÃO HISTÓRICO -
GEOGRÁFICA, PARA PORTUGAL E BRASIL. UM LIVRO DE QUE BRASILEIROS E PORTUGUESES BENEFICIARÃO, POSSO GARANTIR.
 
 
 
 
 

 

 

terça-feira, 4 de novembro de 2014

POESIA A GREGA SAFO



A GREGA SAFO

Num íntimo desabafo
Protesto de mestria
A grega Safo
Poesia, a sua idolatria
Primeira poetisa com sarrafo
Da ocidental aristocracia
De Pitaco mitógrafo
Por ele não tinha dioptria
Do século XVI a. C. – Agrafo
Escrevendo fina e lírica poesia
Não convinha o autógrafo
Que na política era academia
A grega Safo,
Que para Pirro deportaria
Em virtude de afrontar o moafo,
Afrontar o ditador, era heresia
Temia que lhe desse o bafo
Safo mencionar, é da história
Gravada em fitógrafo
Da célebre musa; memória
A grega Safo
Amou discípulas, é da sua biografia
A grega Safo! 

Daniel Costa

 

 

sábado, 1 de novembro de 2014

POEMA ANJO DE CAUSAS

 
ANJO DE CAUSAS   

Sem sentir náuseas
Do anjo das trevas
Anjo de causas
De amor cognitivas
Interferência de deusas
Menos restritivas
Talvez menos difusas
Por mais presuntivas
Menos ares de musas
Mais afirmativas
Por demais medusas
Bastante objetivas
Anjo de causas
Deusas percetivas
Nada confusas
Mundos de alternativas
Citaras para semifusas
Sem evasivas,
Nem exclusas
Dando poder de alternativas
Ao anjo de causas,
Causas determinativas
Anjo de causas! 

Daniel Costa

 
 
 
CAPA DO MEU LIVRO, "TOP SECRET OLAVO" , A GRANDE LIÇÃO HISTÓRICO -
GEOGRÁFICA, PARA PORTUGAL E BRASIL. UM LIVRO DE QUE BRASILEIROS E PORTUGUESES BENEFICIARÃO, POSSO GARANTIR.