DANIEL MILAGRE

A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

terça-feira, 6 de abril de 2021

POEMA ÂNGELA MARIA


ÂNGELA MARIA

 

Ângela Maria

Hoje voz de recordação

Forte como assobio de cotovia

Voz pedida de madrinhas de guerra: saudação!..,

Voz difundida no éter da ramagem,

Da ramagem das angolanas árvores, bênção

Princípio dos anos sessenta, galantaria

Norte de Angola, Guerra dita de subversão;

Guerra Colonial, troava, troava, que então eclodia,

Quadrante norte, com vista à descolonização

Ângela Maria, era a voz que mais se ouvia,

 Bonita e potente voz a toda hora como oração

Recordar e revisitar a excelente voz de Ângela Maria,

Recordar 1962 / 1964, o único rádio de transmissão.

Onde se confraternizava e se ouvia o que havia,

Recordação é o ficou de vozes em emissão

Nas muitas emissoras, que emitiam todo o dia,

Discos pedidos, para militares, em comissão,

Em guerra de subversão, como então se dizia,

Em Angola, onde começou a rebelião,

Ângela Maria, era uma das vozes que muito se difundia,

Com a canção: ESTA NOITE EU CHOREI TANTO,

As mais eram a do Raúl Solnado, Nat King Col, então,

António Prieto, Paul Anka, Frank Sinatra, Gelú,

Fernando Farinha, os Planetas de Kaala

(Grupo de militares também, ali mobilizados).

Conjunto Maria Albertina, tudo varias vezes/dia,

A elegante voz  de Ângela Maria excedia,

Combatentes - “a Pátria nos chamou, cumprimos!...

A pátria nada nos deve, mas merecemos respeito.”

(General João Ramiro Alves Ribeiro)

“Esta noite eu chorei tanto”….

Uma ode à alegria:

 - Nada de pranto!

Homenageemos Ângela Maria.

 

Daniel Costa

 


Nota: de 1962 / 1964 mobilizado, para Guerra Colonial, em Angola, elaborei um Diário pessoal, quiçá o  único existente, dentre os muitos milhares de homens mobilizados para essa Guerra, que se estendeu por três Províncias Ultramarinas, que então foi transversal a muitas famílias. A ideia sempre foi a de escrever livro, a partir do do mesmo. Porém. a peça venceu o concurso do ARQUIVO DOS DÍÁRIOS 2019, Sedeado na Biblioteca Municipal do Socorro Lisboa. obtendo o direito à sua publicação.

Do mesmo farão parte cerca de 60 fotos da época.

A saída do livro esté prevista para principio de Outubro sobre o Título O MEU DIÁRIO.

 DC