segunda-feira, 17 de setembro de 2012

POEMA AMOR FORA DO TRILHO


AMOR FORA DO TRILHO

Que monumental sarilho!
Se não fora optimista
Nunca sentiria amor fora de trilho
 Colmato fingindo-me de equilibrista
O meu anjo especial apareceu com brilho
Trazia-me em alternava uma pista
Traria o amor fora do trilho?
Sonhava como um artista
Sentira-me do deus do anjo filho
Veloz, pelo firmamento à conquista
Do amor fora do trilho
Não rezava assim a lista
Com amor, com mente de fino brilho
Dois cavalos alados com um riquexó na pista
Amor fora do trilho,
Amor á carta ou à lista
Para deixar de ser sarilho
Passando a ver verdadeira e feliz conquista
Amor fora do trilho
O riquexó parou, onde acabava a pista
 Junto a uma espécie de portal, uma mulher de brilho
Beleza que se esfumou, pareceu não querer ser vista
Amor fora do trilho
Olhando para o lado: a conquista
A pedra e o olor que o olfacto sentia verdilho
Várias flores e a esbelta flor mais o sabor em lista
Em primeiro plano, a dominar. laranja milho
Sonhava que vivia na galáxia uma feliz conquista
Amor fora do trilho,
Acordava no planeta terra, o amor à vista
Por acreditar no romantismo sem espartilho
O meu anjo me proporcionou a felicidade evolucionista
Amor fora do trilho

Daniel Costa



10 comentários:

edumanes disse...

Quando o amor se torna sarilho
Corações faz sofrer
Por caminhar fora do trilho
Sobre as flore do campo a nascer!

Verdadeiro não empecilho
Do jardim linda flor
Usa xaile com cadilho
Depois do sol de por!

Na primavera
Se sacha o milho
Boa tarde amiga Severa
Com beleza e muito brilho.

No perfume tem capricho
Bem se sabe maquilhar
Das flores tira o bicho
Nova moda estará a planear?

Para Severa Cabral um beijo, para senhor e amigo Daniel Costa um abraço.

Eduardo.



Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido Poeta

Como sempre um belo momento de poesia neste amor fora do trilho, mas que está muito dentro dos sonhos do poeta...Adorei.

Deixo um beijinho com carinho e agradeço a tua presença no aniversário do meu blogue.

Sonhadora

Everson Russo disse...

E ao amor sempre como ele vier,,,grande abraço fraterno e uma bela semana pra ti meu amigo..

Fernanda Oliveira disse...

Mas como é bom falar de amor... Ele é tão simples e tão cheio de cor... És como um diamante, cheio de valor. Olá amigo Daniel, belo poema. Bjs! Fernanda Oliveira

Severa Cabral(escritora) disse...

Amigo Daniel!!!!!!

Na ótica do amor quando sai do trilho,fica um coração em desalinho,onde é preciso alinhar-se,então passa por dores para ter que empacar a vida.Já na forma poética,se extrai da seiva do amor toda conquista,se ama de varias formas.E aqui vejo uma frase bem sentida;
" O meu anjo me proporcionou a felicidade evolucionista Amor fora do trilho."
Mas um poema onde o amor vive e sobrevive;assim se ver um o amor fora do trilho...
Abç

Marta disse...

É ser apenas feliz...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Vanuza Pantaleão disse...

Romantismo sem espartilho. Taí, gostei dessa, Daniel!
Sabe, eu acho que o amor nunca anda nos trilhos, hahahaha.
As fotos da Severa estão lindassssss!!!!
Beijinhos...

Vanuza Pantaleão disse...

Aqui, final de tarde. Aí, já deve ser noite.
Boa noite, amigo!!!!

Everson Russo disse...

Uma bela noite pra ti meu amigo...abraços fraternos...

Anne Lieri disse...

Daniel,primeiro tenho que elogiar minha amiga Severa por ser sua musa inspiradora de tão bela poesia!Fora dos trilhos? Tudo vale a pena,se a alma não é pequena!bjs e meu carinho,