domingo, 15 de maio de 2011

POEMA VINDIMA

<br/><a href="http://oi51.tinypic.com/2mdnggn.jpg" target="_blank">View Raw Image</a>

VINDIMA

Moita dos Ferreiros
Certa noite atravessei, numa Caminhada
Dirigia-me a uma vindimada
No Casal Torneiro
Ali perto do Bombarral
Mantimentos iam no bornal
O patrão Chico Bento
Encarregara de arranjar grupo
Ao Américo do Casal
Quinze dias, o desterro
Que soou a liberdade celestial
Dormir na palha era banal
Sustento, batatas cozidas
Chicharro seco e Sardinhada
Sardinha prateada, como se fora para banquete
Aparecia na madrugada
Consistia, em cortar uva, a jornada
De formosa ramada
Cada cesto de pau, quando cheio
Encosta acima a despejar na tina
Para o lagar era transportada
Dezasseis anos e da vida sabia nada
Ouvia historietas, ao som de sorrisos
Fixei uma bastante engraçada
Caso de infidelidade
Dizia o homem:
Vi, foi mesmo de pé, mulher danada
Retorquia esta:
Não gostaste de estar na taberna encantada?
Cesto vazio, cesto cheio
Encosta acima
Vindima terminada
Vinte e dois mil e quinhentos por jornada
O rapaz, se também merecia, os levava
A terminar, uma ceia de adiafa
Para a festa bacalhau, alto como nunca vi
Mais as batatas, grande tachada!
Na própria adega
Na goela, o forte tinto carrascão refrescava
Depois do adeus e da última dormida
O grupo, pelas mesmas vias, encetou a abalada.

Daniel Costa

12 comentários:

Bandys disse...

Oi Daniel,
Um belo poema pra uma bela mulher.
Desculpe mas com o bug que deu nos blogues não consegui comentar antes aqui.

Um beijo no seu ♥

Everson Russo disse...

Sempre um belo poema a encantar uma bela musa,,,versos e amor,,,abraços fraternos de boa semana pra ti meu amigo...

Mariazita disse...

Olá, Daniel
Muito bonito este teu poema, enaltecendo essa tarefa que, geralmente, se cumpria com alegria - a vindima.
Consegui visualizar a descrição que fazes das condições existentes naquele tempo.
Perfeito! Gostei imenso.

Não foste afectado pelo "manutenção" do Blogger?
Um verdadeiro sufoco. No meu post de hoje descrevo como a mim (ao meu blog) prejudicou.

Um bom resto de domingo. Beijinhos

Marilu disse...

Querido amigo, minha irmã era portuguesa e falava sempre da vindima, colheita das uvas, que na época em que ela jovem era sempre um motivo de festa. Belíssimo poema. Tenha uma linda semana. Beijocas

SAM disse...

Querido Daniel,

Que poema adorável! Linda imagem através de belos versos.Obrigada amigo.

Beijos com carinho e ótima semana.

Ma Ferreira disse...

Lindo o seu poema. Falar de amor é sempre bom. Sempre toca nossos corações.

Parabéns pelo poema!!

Ma Ferreira

Bete M. Silva disse...

Obrigada pela visita.

Abraços.

Everson Russo disse...

Uma excelente segunda feira pra ti meu amigo...abrçaos fraternos..

Fernanda disse...

Olá amigo Daniel!

Sempre belos poemas para mais belas mulheres.

Beijinho

CAIXA DE FATOS disse...

Uma beleza.

Bjs

Maria Luisa Adães disse...

Daniel

Belo poema que nos faz desejar ter estado nesse encontro, usufruir desse convivio, tão bem retratado no que escreveu.

Abraço grande e obrigada, por o encontar no meu blogs.

Maria Luísa

Everson Russo disse...

Um belissimo dia de paz pra ti meu amigo,,,abraços fretarnos...