quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

POEMA ANJO HORTELÃO



ANJO HORTELÃO
 
Na horta é-se tecelão,
Minha horta do arneiro!
Anjo hortelão,
Apontando o quinteiro
Pairava a fazer de capelão
Terno alvissareiro
Dedilhando um violão
 Estava nisso, por inteiro,
A manter verde o chapelão
Anjo medianeiro
O verde dando-me satisfação
Na adolescência doceiro
Arte para manter a criação,
De que era, como, pioneiro
Criava com vontade do coração,
As plantas me faziam gaiteiro
A sua verdura exibia emoção
O anjo me fazia sentir aventureiro,
A aventura perdurou então
Nunca me senti prazenteiro,
 A horta enchia a casa de pão
Revelia transformada em luzeiro
Anjo hortelão,
Sacro santo cavaleiro,
Viria deste a bênção.
 
Daniel Costa
 

9 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo anjo, Daniel. Gosto muito desse tipo de poema, em que a cadência acompanha as palavras. E nisso, vc é mestre.
Beijo*

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Um poema bem diferente amigo Daniel.
Gostei muito.
Bjs-Carmen Lúcia.

Pedro Luso disse...

Caro Daniel,
Mais um ótimo poema seu, como sempre acontece aqui no blog.
Aproveito o ensejo para desejar ao amigo um ano de 2016 com sucesso, e muita saúde.
Grande abraço.

Marta Vinhais disse...

Como sempre, um poema delicado...
Beijos e abraços
Marta

São disse...

Gostei mesmo muito....

Bom ano, amigo

Blog da Gigi disse...

Abençoado final de semana!!! Abraços

Maria Rodrigues disse...

Um anjo em tons de verde.
Como sempre lindo poema.
Beijinhos
Maria

Jaime Portela disse...

Magnífico poema.
Com um excelente ritmo, do princípio ao fim.
Bom fim de semana, caro Daniel.
Abraço.

MARILENE disse...

O verde foi para você de grande inspiração. Um poema gostoso de se ler, cadenciado e musical. Belo! Abraço.