sexta-feira, 27 de maio de 2016

POEMA HUMILDE CAMPONÊS INTELIGENTE


 
HUMILDE CAMPONÊS INTELIGENTE

 
 Espera-o luta intermitente

Para o sonho conseguir noutro lugar

Humilde camponês inteligente

Capacidade de realizar

 Difícil encontrar gente competente

Para o sonho poder passar,

Experimentei, minha gente,

Experimentei dialogar!

Esforço, por vezes, deprimente,

Porém, nunca deixei de lutar,

Na cidade, de grandes cérebros carente

 Por cima a capacidade se deseja subjugar,

Isso foi demostrado, vigente

Neste profano e mundano altar

A origem de nascimento é emergente,

Fica sempre a centrifugar,

Em qualquer pingente!

Para se afidalgar,

Afidalgar nessa vertente

Aprende-se sem arengar

Sempre forte e valente,

Capaz de, só por si, ser congruente

Humilde camponês inteligente.

 

Daniel Costa

 

 

7 comentários:

Mariazita disse...

Querido amigo Daniel
Gostei particularmente deste poema.
Imprimiste-lhe um ritmo diferente; ao lê-lo sentimo-nos a caminhar vitoriosos, pisando o chão com força, até com vontade de fazer greve se tal for necessário :)))
Parabéns! É um óptimo poema.

Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Blog da Gigi disse...

Ótimo final de semana!!!!!!!!!! Beijos

Jaime Portela disse...

Gostei do poema porque é uma excelente homenagem aos camponeses, muitos deles bem sofridos mas inteligentes.
Mário, tem um bom fim de semana.
Abraço.

Graça Pires disse...

Os camponeses têm mesmo que usar a inteligência porque o trabalho deles é difícil, cheio de percalços e nem sempre devidamente reconhecido.
Beijos.

Smareis disse...

Olá Daniel! Quanto tempo meu amigo.
Andei dando uma pequena pausa que acabou se alongando. Mais a saudade bateu, e de volta estou no meu blog.
Muito bom esse poema. Bonita homenagem aos camponeses.
Linda essa fotografia de Florianópolis. Cidade maravilhosa.
Um abraço e ótima semana!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Daniel! Bela homenagem a esse ser sofrido, mas honrado e trabalhador. Lindo poema.

Abraços,

Furtado.

Dorli Ramos disse...

Oi Daniel
Uma linda homenagem aos camponeses, pessoas simples que quase ninguém da valor
Beijos
Minicontista 2