quarta-feira, 22 de agosto de 2012

POEMA TALISMÃ

 
 

TALISMÃ

Sonhava com vivência em cidade anciã
Ao mesmo tempo moderna
Estaria ali o meu grande talismã?
A metrópole parecia-me eterna
A mítica cidade de Amã
 Para que intuísse ideia hodierna
No sonho o meu anjo me vigiava com afã
Em pouco, sem me sentir reserva
Mirava-me para me oferecer um talismã
Já me sentia como numa bonita caverna
Me olhei, me senti galã
Os dois fiéis corcéis e sua estrutura de reserva
Dali voavam em superior dimensão, com olor de hortelã
Era na conhecida galáxia, na dimensão de Minerva
Talismã! Talismã! Talismã!!!
Era então a mulher por que suspirei, de sabedoria eterna
A elegante anfitriã!...
Nitidamente, com os olhos pisquei à maneira moderna
Primeiro, entre flores, como doce irmã
Depois a sua elegância, entre palmas, felicidade – tentativa de união
A anfitriã era a mulher talismã!
Num ápice estava acordado, na minha terrena mansão
Amor! talismã!....
Amor que, para sempre fiquei a senti no meu coração
Talismã! Talismã! Talismã!...

Daniel Costa




12 comentários:

Severa Cabral(escritora) disse...

AMIGO DANIEL !!!!!!!!

Se o talismã nos dar o direito da magia como símbolo cabalístico com a virtude de trazer felicidade.Vamos imaginar o amor quando vira talismã,vivemos realmente um momento mágico nas nossas vidas,onde só temos que unir, fazendo dele nosso amuleto para virar energia,num amor em explosão com a alma cali ente para desfrutar e delirar e,ainda chamar de meu talismã.
Completo seu poema num pequeno verso feito com a expressão de um coração desvairado;

dentro de uma canção
com os pés no chão
sinto o coração em explosão
você sendo meu talismã em adoração
só contemplo nossa paixão...

Adorei o romantismo do seu poema.Do qual tocou meu coração tão romântico e sonhador,rsrs
Parabéns por mais um poema ...
Abç

Bandys disse...

Daniel,

Passando pra te deixar um beijo

edumanes disse...

Cópia não ficou
Como era não me lembro
O vento o levou
Mas deixou este rebento!

Não faz mal ter desaparecido
A maquina outro pode produzir
Pior seria ter acontecido
Se não soubesse outro construir!

Dedicado era
A amiga Severa Cabral
Linda flor da primavera
Nascida no Brasil, e não em Portugal.

País irmão pudera
Bem a gente se entender
Se eu pudesse quem me dera
Ao Brasil e iria ver!

Boa noite e um abraço para você amigo Daniel Costa.
Um beijo para Severa Cabral.
Eduardo.

Daniel Costa disse...

Amigo Everson

Estou muito grato pela tua amizade, de hoje e sempre.
Um grande abraço de amizade e fraternidade.

Everson Russo disse...

E que esse amor seja sorte, seja forte seja talismã de vida e sonhos....belo poema amigo...abraços fraternos e um belo final de semana pra ti.

Everson Russo disse...

Agora tá perfeito meu amigo,,,eu que agradeço a amizade,,,abraços fraternos...

Ivana disse...

Daniel
Parece um sonho de amor de tão bonito, um abraço, um ótimo fds

ELAINE disse...

Parabéns, meu amigo! Com esta bela musa, só poderia compor uma poesia linda como esta! Um abençoado e feliz final de semana!
Abraço carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Everson Russo disse...

Um belo sábado pra ti meu amigo...abraços fraternos...

O Sibarita disse...

kkkkkkk Porreta Daniel! E ai, a Talismã, vingou? kkkkk

É muito bom e quem não sonha em ter a sua Talismã, ali colodadinha ao seu lado, né não? kkkk

Beleza!

O Sibarita

Everson Russo disse...

Uma bela semana pra ti meu amigo...abraços fraternos...

Evanir disse...

Boa Noite Amigo Poeta.
Lindo poema de um romantismo impar
lindo de se ler meu querido.
As fotos da Severa estão belíssimas
sempre com um sorriso contagiante.
Beijos linda semana ,Evanir.
PS:Daniel estarei enviando amanhã o livro para o sorteio tenho medo que não chegue para dia 10 de setembro quando você vai fazer o sorteio.