domingo, 15 de novembro de 2015

POEMA CASA DA MALTA


<br/><a href="http://oi67.tinypic.com/2zi1v8y.jpg" target="_blank">View Raw Image</a>
 
CASA DA MALTA
 
Ao Domingo peralta,
Longe do palheiro
Casa da malta,
Parecendo galinheiro,
De contra-revolta
Fação de telheiro
Cheiro a coima, a multa,
De nababos capacheiro
Com certa neblina envolta
Se come, precisa ser cozinheiro
Com intempéries, não se revolta
Jamais adrega mealheiro
Na casa da malta, a mente salta
A caneta, dispensa tinteiro
O filho do nababo revolta
De impropérios archeiro
Sentindo-se na ribalta
Menino galhofeiro
Representa contravolta,
De fortunas, reposteiro
Casa da malta.
 
Daniel Costa

8 comentários:

Ivone disse...

Que lindo ler sobre a Casa da Malta, lindo ver a foto onde muitos juntos sorrindo estão!
"...Na casa da malta, a mente salta/A caneta,dispensa tinteiro..." Assim vão os versos que, nem preciso mais dizer, sempre amo ler!!!
Abraços amigo Daniel!

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Muito lindo amigo Daniel.
Eu não conhecia a Casa de Malta,mas adorei ler.
Bjs e uma ótima semana.
Carmen Lúcia.

Bandys disse...

Ola Daniel,

Não conheço a casa da malta.
mas achei muito legal
o seu poema.
Boa noite
Beijos

Blog da Gigi disse...

Lindo dia!!!!!!!!! Abraços

Graça Pires disse...

Adorei as fotografias, amigo.
Beijo.

São disse...

As fotos estão muito boas e quem não se lembra da "casa da malta"?

Saudações amigas

Pedro Luso disse...

Mais uma ótima postagem sua, Caro Daniel: as duas fotografias e o poema "CASA DA MALTA", que, por já ter lido outros poemas seus, posso dizer que este se coloca entre os melhores.
Um abraço.

MARILENE disse...

Daniel, belos versos! Traduziu sentires refletidos na imagens. Abraço.