sexta-feira, 3 de março de 2017

POEMA ESCRITOR PASSANDO POR HORTELÃO

Foto de Daniel Cordeiro Costa.

ESCRITOR PASSANDO POR HORTELÃO

Viria a ser a de Santo Antão,
A Rua onde nasci e vivi,
Onde trabalhei e fui hortelão
Para trabalho na agricultura não nasci; concluí,
Conclusão que não foi em vão,
A viver na cidade me entreguei,
Lá e aqui, existiu devoção,
Coordenei, nada escondi,
Também passei pela gestão,
Informo que muito vivi e labutei,
Nos mundos que me chegavam à mão,
De tudo fiz, não me diminuí,
Aceitei sempre o rifão, sina não,
Apenas comigo competi,
Embora trabalhando em competição
Agora escrevo e escrevi,
Outrem ajudei, sem senão,
Paga jamais pedi,
Agora poeta, escritor então,
Em cada ocasião vivi,
 Na humildade de hortelão!...

Daniel Costa



5 comentários:

Maria Rodrigues disse...

Meu amigo, que vida preenchida tem tido.
Lindo poema
Beijinhos
Maria

Mariazita disse...

Querido Daniel
Se não fosse a redundância eu diria: um poema cheio de poesia!
Tiveste ( e continuas a ter...) uma vida muito rica, muito cheia de experiências, e descreve-lo duma maneira sublime.
Gostei muito.

Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Bom dia Daniel!
Muito bom ler você
nesse sábado assim
pela manhã;
Ótimo fim de semana.
Bjins
CatiahoAlc/Reflexod'Alma

Blog da Gigi disse...

Bom início de semana! Beijos

Vera Lúcia disse...


Olá Daniel,

Uma trajetória de sucesso, labutada com nobreza e humildade.
Lindo!

Feliz semana!

Abraço.