domingo, 19 de abril de 2015

POEMA CICATRIZES




CICATRIZES    

Parecerão varizes
Nos corpos ou almas dos humanos
Cicatrizes
Não há enganos
Traçados em bissetrizes
Ainda que… Em seres profanos
Como embaixatrizes
Deuses transumanos!
Direi ser, vossas matrizes
Reclamar como decanos,
Serei como… Forças motrizes
Em gestos draconianos
Atingindo, reinos de maus carizes,
A abafando fumos de havanos
Confusões de geratrizes
De carácter de desumanos
Mui nefastas diretrizes
Naturezas de opiómanos,
Substitutas de abatises,
Esfera dos inumanos
A semear cicatrizes
Impérios de guanos!
Cicatrizes!

Daniel Costa

 

 

4 comentários:

Maria Rodrigues disse...

Por vezes há cicatrizes que fazem doer eternamente a alma.
Belíssimo poema
Beijinhos
Maria

José María Souza Costa disse...

Olá, Daniel, bom dia

O que marca, as cicatrizes na alma, são as escolhas que fizemos. Ou faremos, e por si só, elas nascem, crescem, e muitas vezes, magoam.
Um abraço

Marta Vinhais disse...

Há sempre cicatrizes... As mais profundas e doridas são as que não mostramos à superfície...
E não podemos ignorar....
Belo...
Beijos e abraços
Marta

Rosemildo Sales Furtado disse...

As cicatrizes visíveis somente interferem na aparência, enquanto que as invisíveis machucam a alma. Belo poema Daniel.

Abraços,

Furtado.