segunda-feira, 13 de abril de 2015

POEMA OÁSIS NA ILHA




OÁSIS NA ILHA 

Sentir o sabor da lentilha
Como bom samaritano
Oásis na ilha
Onde cresce o plátano
Refresco de salsaparrilha
Oásis puritano
Sabor de tortilha
Ilha sem arcano
O mundo ali não brilha
Antes do oásis, o pântano
De esquizofrenia camarilha
Parecendo de teor bacteriano
Desativando a cavilha,
Tudo por amor espartano
Incentivando a cartilha,
 Qual quê? Mundo de engano!
Esquizofrenia ou cedilha?
Nada de poder ser antoniano!
Vale o oásis na ilha!

Daniel Costa


AO CONTRÁRIO DO QUE SE POSSA IMAGINAR A POESIA PODE, BEM VISTAS AS COISAS, SER A FORMA LITERÁRIA QUE MAIS DESAFIA O LEITOR A INTERPRETAR O PENSAMENTO DO AUTOR. ISTO PORQUE, UM RAZOÁVEL AUTOR DE POESIA, NUNCA É UM SIMPLES ARRUMADOR DE PALAVRAS. ANTES É UMA PESSOA DE PENSAMENTO DEFINIDO. AQUI DEIXO O EXEMPLO CLÁSSICO DISSO; DO QUE BEM PODERIA SER, O MEU MAIS QUE CERTO EPITÁFIO. 
TEM DE SER SEMPRE O LEITOR A INTERPRETAR O POEMA, DE FATO.
POESIA É UMA FORMA DE LER, A MAIOR PARTE DAS VEZES, NAS ENTRELINHAS.
D. C.

 

10 comentários:

Ivone disse...

Ah, gostei do "Oásis na Ilha", nossa, até plátano entrou na rima, só podia ser de uma mente bem criativa!
"...Vale o oásis na ilha!"
Muito bom!
Abraços amigo poeta Daniel!

Ana Bailune disse...

Olá, Daniel. Sorte da vila na ilha que tem seu oásis.
Linda poesia!

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Com certeza Daniel,o poeta deixa sempre palavras nas entrelinhas...e muito da sua sabedoria,vale àquele que lê entender.
Lindos Versos.
Bjs-Carmen Lúcia.

Ivone disse...

Voltei para ler o acréscimo que colocastes, meu amigo poeta, sim, quem lê interpreta de acordo com o que o poeta quer passar e/ou o que o leitor sente ao ler, bem linda a sua alma, eu a sinto todas as vezes que aqui venho, pois como já te disse, amo palavras rebuscadas para mostrar sentimentos, as rimadas então, nos dá a perfeita dimensão de sua compreensão da Vida, bem assim como gosto de escrever, com "V" maiúsculo!
Somos todos como uma ilha, mas nem todos temos um oásis, tens, eu também tenho e assim amamos viver!
Abraços bem apertados!

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa noite, querido amigo Daniel.
"Oásis na Ilha" poema lindo, e que com certeza só podemos entender se interpretarmos as entrelinhas de um poeta rico com você. Grande abraço!

Mariazita disse...

Meu querido Daniel
Hoje decidi "roubar" algum tempo à minha tarefa obrigatória - a feitura do meu segundo livro - e visitar alguns blogs amigos. Por isso aqui estou...

Concordo inteiramente. Quem lê poesia interpreta-a à sua maneira, mas sempre com o objectivo de tentar adivinhar o que o autor queria transmitir. Pelo menos comigo é assim...
Depois... cada um sente-a de acordo com o seu estado de alma de momento. Acontece-me muitas vezes ler um poema, interpretá-lo de uma determinada maneira e, numa leitura posterior, "ver" coisas que na primeira leitura me tinham escapado.
Por isso considero tão difícil escrever poesia e o faço só de vez em quando... :) (e mal!!!)
E, já agora... umas palavrinhas ao teu poema :)
Gostei muito, e... cada vez que aqui venho noto grande evolução na facilidade de te expressares, no manejo das palavras, na construção do poema... enfim. estás sempre a melhorar! (NADA DE FICAR VAIDOSO, OUVISTE?)

Desejo-te a continuação de uma excelente semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

helia disse...


"Nada vale o Oásis na Ilha..."
Lindo este Poema !

Rosemildo Sales Furtado disse...

Realmente, a interpretação de um poema depende muito do estado de espírito em que se encontra o leitor no momento.

Belo poema Daniel. Vale o Oásis na Ilha se temperado com a felicidade.

Abraços,

Furtado.

Mirtes Stolze. disse...

Olá Daniel.
Que lugar lindo , assim deveria sempre sempre dentro de nós, um lugar com muita paz e tranquilidade. Um lindo poema. Abraços.

Lu Nogfer disse...

Verdade Daniel...
E por vezes nem precisamos entender a poesia. Basta senti-la.
Repleta de setimentos esta tua inspiração.

Beijos