A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

terça-feira, 13 de outubro de 2015

POEMA DE VARIEGADAS CIVILIZAÇÕES - MUNDA




DE VARIEGADAS CIVILIZAÇÕES - MUNDA
 
Com sua torrente, torna a terra fecunda
Nascido na Serra da Estrela, banha Coimbra
De variegadas civilizações – Munda
Hoje rio Mondego deslumbra
Lusitanos deitam o arroz à terra estupenda
Cantam as águas do rio como sua vértebra
Elas tornaram o rio lenda de prebenda
Continua a dominar Montemor-O-Velho, sem sombra,
Com o seu velhinho castelo, que segurava a contenda
Continuando altaneiro e vetusto, a antiguidade relembra
A obra escrita o perpetua o vocábulo Munda
A Biblioteca Afonso Duarte olha, superiormente e de sobra,
Lurdes Breda, comandando, aprofunda
Regra 2015 de grande e denodada fibra
De variegadas civilizações – MUNDA
Atualmente é também o basófias” de Coimbra.
 MUNDA... MUNDA... MUNDA!...

Daniel Costa
 
 
 

 

 

7 comentários:

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Daniel,não entendi muito bem,mas me parece falar sobre a batalha de Munda,é isso?
bjs e uma ótima semana.
Carmen Lúcia.

Graça Pires disse...

O Mondego é o meu rio...
Beijo, amigo.

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Olá Daniel,passando para lhe desejar um ótimo final de semana.
Bjs-Carmen Lúcia.

Salete disse...

Poema ritmado e gostoso de ler.
Gostei muito, Daniel de conhecer as peculiaridades da sua terra e de sua gente.

Beijo.

Pedro Luso disse...

Boa noite, caro Daniel.
Li eu poema com atenção e curiosidade, poema que, por certo, fará com que me aproxime um pouco do tema, que me é desconhecido. Mas irei atrás do prejuízo.
Grande abraço.

Magia da Inês disse...



Mesmo sem entender as particularidades da história portuguesa é muito bom ler sua poesia.
É ritmada e muito agradável aos ouvidos. É ótimo ler em voz alta por causa da sonoridade da língua portuguesa.

Boa semana, cheia de alegrias.
Beijinhos.
✿˚° ·.

MARILENE disse...

Um rio... uma história... Inspiração para pesquisa por quem, como eu, nada conhece sobre a matéria. Abraço.