A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

domingo, 17 de julho de 2016

POEMA AS VELHAS SESTAS



AS VELHAS SESTAS

 Arredores sem florestas
Havia sim, intenso calor
As velhas sestas
Ao longe ecos de trovador
Soavam como orquestras
Imitando tecnicolor
Outras insignes festas!
Volume, som de bateristas
Artes de amador
Parecendo guionistas
Brioso e atento captador
Fervor de artistas
Orientação de pendor
As velhas sestas!...
Eu pertinaz pensador!...

Daniel Costa




6 comentários:

Marta Vinhais disse...

Quem não gosta de uma sesta na hora do maior calor para desfrutar depois dos prazeres da noite?
Beijos e abraços
Marta

Dorli Ramos disse...

Que falar de um escritor renomado. Parabéns.
Eu não faço falta pra ninguém, só faço falta para mim mesma, tenho que cuidar da minha saúde.
"Depois de morto não adianta o remorso"
Obrigada
Minicontista2

Graça Pires disse...

Adoro uma boa sesta, Daniel. É engraçado você, "pertinaz pensador" fazer um poema às velhas sestas, que eu creio que também são de agora. Gostei.
Um beijo.

Maria Rodrigues disse...

Em dias de calor sabe mesmo bem uma sesta.
LIndo poema
Um abraço
Maria

Pedro Luso disse...

Muito bom o seu poema, amigo Daniel.
Grande abraço.

Jaime Portela disse...

Uma sesta diária de 20 minutos é muito boa.
Gostei do seu poema, é magnífico.
Daniel, tem um bom domingo e uma boa semana.
Abraço.