A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

quarta-feira, 20 de maio de 2009

poesia

VILA VIÇOSA

Na princesa do Alentejo
Apenas uma vez passei
Perto da vila dos mármores
Depois bastante viajei
Foi berço de Florbela
Da Espanca, da poetisa
Que ali não homenageei
Em Borba, em Terrugem
No mesmo dia passei
Talvez por isso, pela beleza
Pelos mármores,
Que a outra Terrugem
Junto a Sintra tem
A Vila Viçosa
Apelidam de a Sintra
A Sintra do Alentejo também
Ainda era menor, o que tem?
Fizera vinte anos
Sem sentidos
Transportaram-me ao hospital
O de Elvas
O Militar Principal
Viajava individual
O majestoso palácio
Dos Duques de Bragança apreciei
As amargas e bonitas laranjas
Laranjeiras não esquecerei
Porém!...
Florbela Espanca?
Que existira, nem sabia
Por isso não me curvei
Aos deuses e às musas
Perdão, sempre pedirei

Daniel Costa

A 08/12/1894, deu-se em Vila Viçosa o nascimento da grande poetisa Florbela Espanca, fica a homenagem a quem, pela sua grandiosa obra poética, avançada no tempo, é a agora mais apreciada.
No mesmo dia, mas antes, em 1646, D. João IV Consagrava Senhora da Conceição, Padroeira de Portugal.
Fica link, sobre o assunto.
http://www.arqnet.pt/dicionario/nsconcpad.html
DC

23 comentários:

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Daniel:
Que lindo este poema, sabe por quê? Porque quando estive, certa vez, em Portugal, fiz questão de ir a Vila Viçosa, pois sabia tudo sobre a minha poetisa preferida, sei de cor vários sonetos dela. Fiquei tão feliz, tenho todas as suas obras e de todas as edições que encontro, não me importa o dinheiro, pois pela Florbela gasto tudo o que tenho.
Fora isso, o que dizer do seu poema? Que é lindo, como sempre, sempre com um ritmo que quase dançamos quando o lemos.
Estou com saudades, amigo.
Postei no Galeria, fechei a maioria dos Blogs, mas abri um chamado AMOR, em que publico meus poemas mais intimistas.
Venha visitar-me, o Feminina, o Galeria e o Amor o esperam.
AMOR:
http://blogrenataamorr.blogspot.com
Um beijo no coração,
Renata

Carlos II disse...

Vila Viçosa! Linda. Claro Florbela Espanca. Até tem estátua na prinicipal artéria.

O palácio deslumbrante.

Abraço

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO DANIEL, SIMPLESMENTE SUBLIME AMIGO... ADOREI!!!
ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

Sonia Schmorantz disse...

Este viajar pelos teus poemas trazem um pouco destes ares e um pouco de Florbela Espanca, cuja poesia é como um mito, que jamais conseguirei alcançar.
Um abraço

Laura disse...

Florbela
A ternura da nossa terra
O encanto da Poetisa
E as dores que tanto sofreu
E o muito que seu coração
Penou
decerto com ela
As levou...

Uma mulher de amores e desamores conturbados, de desejos não materializados, enfim, um ser humano que muito sofreu!...
Beijinhos daniel, mas, nem leio a sua poesia, porque; deixa-nos muito tristes, doentes quase...laura.

Angela Guedes disse...

Olá Daniel!!!
Adorei sua poesia, já postei sobre a Florbela Espanca, ela é minha poetisa favorita...
Abraços.
Ângela

poetaeusou . . . disse...

*
partida
para o Regicídio.
do tal Buiça,
,
conchinhas
,
*

Laura disse...

Algures por aqui em casa, numa revista espirita, vem um poema dela escrito sob mediunidade, como acredito..o poem aé lindo, é tal e qual ela o escreveria...quando o encontrar, hei-de postá-lo, porque gosto imenso e foi como se o escrevera na terra... Beijinhos.

Laura disse...

Algures por aqui em casa, numa revista espirita, vem um poema dela escrito sob mediunidade, como acredito..o poem aé lindo, é tal e qual ela o escreveria...quando o encontrar, hei-de postá-lo, porque gosto imenso e foi como se o escrevera na terra... Beijinhos.

Ana Martins disse...

Linda homenagem meu caro amigo!
Linda e merecida, Florbela Espanca será sempre imortal!!!!!!!

Beijinhos,
Ana Martins

xistosa - (josé torres) disse...

Florbela Espanca, sofreu dores que nem tinha.
Foi um corpo amargurado dum pensamento esvoaçante.
Não foi feliz nem ela procurou a felicidade.
Cada dia enterrava mais o punhal das desavenças com a existência.
Penso que até o espelho a enganava.
Belo poema de viagem.
Vou tentar andar por aí ...

Val Du disse...

Ah, Daniel que beleza!

Beijos.

Marta Vasil disse...

Daniel

Vila Viçosa, terra de muitas recordações ainda para mim, depois de tantos anos passados...

Uma viagem pela história local, nacional, pessoal e por um canto da poesia,com uma grande poetisa alentejana. Uma poetisa de palavras sempre a sofrerem, em contraste com a imensidão da calma do alentejo.

Beijinho e bom fim de semana

MV

Mariazita disse...

Olá, Daniel
Não andarás agora por essas bandas, suponho...
A primeira vez que fui a Vila Viçosa já lá vão muitos anos. Como não podia deixar de ser - penso que quando se vai lá a 1ª.vez toda a gente o faz - fui conhecer o Palácio. Muito bonito.
Sobre a Florbela nem me atrevo a falar! Considero-a a melhor poeta (mulher) portuguesa. E mais não digo!

Que tudo esteja a correr bem, e
beijinhos
Mariazita
LÍRIOS DO MACUÁ

mariam disse...

Daniuel,

pois aqui fez um belíssimo hino/homenagem às belas terras e às encantadas musas. Parabéns! Lindo o poema.

um abraço e o meu sorriso :)
mariam

mariam disse...

'Daniel'
:)

Desnuda disse...

Amigo Daniel! Que beleza de poema homenagem! Fico embevecida lendo, tentando imaginar as paisagens...Viajo nos teus poemas! E florbela! Meu Deus! Belo post, amigo. Obrigada.

Beijos e ótimo fim de semana!

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Daniel.

Lindo poema. E Florbela Espanca... sensacional! Merecida homenagem. :-)





EXCELENTE FIM DE SEMANA PARA VOCÊ!

♥.·:*¨¨*:·.♥ Beijos mil! :-) ♥.·:*¨¨*:·.♥




http://brincandocomarte.blogspot.com/

___________________________________

Sonia Schmorantz disse...

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.

A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade. E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências...

A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.

Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos. Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure. E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.

Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo! Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.

Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer...

Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!

Autor: Paulo Santana

Um lindo final de semana!
Abraço

Laura disse...

Ah, e os meus amigos, eu quero-os ter de perto, tão perto que possa tocá-los, abraçá-los, beijá-los, dar-lhe força e acalento....sem duvida que todos temos o nosso melhor e pior momento, e, que eles estajam aqui naqueles momentos em que minha alma dói..é isso o que quero deles, o amor, a companhia, a ternura dividida...beijinhos...
beijinho daniel, e como vai a netinha querida? laura.

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

A Amizade é...
O mais nobre dos sentimentos,
Cresce à sombra do desinteresse,
Nutre-se brindando-se e floresce
a cada dia com a compreensão.

Seu lugar está junto ao amor
Porque ela é também amor.
Somente os honestos podem
ter amigos, porque à amizade,
o mais leve dos cálculos a fere.

Como é um bem reservado aos
eleitos, é o sentimento mais
incompreendido e o pior interpretado.
Não admite sombras nem fingimentos,
rusticidade nem renúncias.

Exige no entanto sacrifício e coragem,
compreensão e verdade,
VERDADE! acima de todas as coisas.

Com as pequenas coisas
do dia a dia
cresce nossa amizade.
Desejo que sempre seja assim.

(Desconhecido)


Te desejo um final de semana com muitos amigos,amor e paz
Abraços do amigo Eduardo Poisl

Maria Valadas disse...

Daniel,

Enalteces a poetisa Florbela Espanca... o que desde já, agradeço, porque tb é uma das minhas poetisas preferidas.

Adorei o teu belissímo poema.

Bom Domingo.

Beijos

Tais Luso de Carvalho disse...

Amigo Daniel, amo a poesia de Florbela Espanca, estou para postar mais um dos seus sonetos no 'Porto'.

São tristes, mas belos, isso prova que na tristeza há beleza. Amo 'A Hora que passou', 'Desejos vãos', mas minha preferida é 'EU':

'Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada...a dolorida...'

Lembras desse, amigo?
Um bom fim de semana.
tais luso