A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

domingo, 28 de novembro de 2010

POEMA NO CHIADO À NOITINHA

Foto: Daniel Costa
Foto:  Daniel Costa

Foto Daniel Costa:
Paulo Rangel, de costas, a ser entrevistado para uma estação de TV


NO CHIADO À NOITINHA

Fez parte da vida minha
Em tempos que lá vão
Passar no Chiado, também à noitinha
Como era belo e gostoso
Deambular de passagem para uma vida jeitosinha
Era ainda nos idos de sessenta
Tomar o pulsar da zona mais famosa da Lisboa minha
Depois aconteceu que todo o Chiado ardeu
Deixou de ser zona rainha
Houve muito esforço Deus meu
Como me agrada ver de novo o Chiado à noitinha
Ali está uma Lisboa de novo a fervilhar
Como se fosse de vida novinha
A beleza volta a enlouquecer
Com coisas novas na tradição de outrora
Ao cimo a velha estátua do Chiado, dito o judeu
António José da Silva, seu nome de sempre e agora
Ainda ao cimo o homem das castanhas
O velho eléctrico a passar ali embora
O café “A Brasileira do Chiado”
A estátua de Fernando Pessoa agora
A livraria Sá da Costa ali a um lado
Até que se chega ao colosso de Livraria
A Livraria Bertrand onde Paulo Rangel
Lançar o seu livro iria
Ali a representação do seu, o maior partido da oposição
“Uma Democracia Sustentável”
A nata a marcar presença então
O Secretário Geral, tornando a sessão mais credível
Passos Coelho o homem que assumiu
O Assessor de Paulo Rangel
O Convite para mim emitiu
Lá fui viver o evento do Chiado
João Mendes, o assessor, conversando comigo insistiu
Adorei estar presente, ter fotografado

Daniel Costa


13 comentários:

Let's disse...

Olá..legal seu post..bjs boa smeana

angela disse...

Um lugar em que a cultura ferve.
Muito bom ter lugares assim.
beijos

Jacque disse...

Muito linda postagem, amigo Daniel.

Boa Semana

Everson Russo disse...

Belissimo poema amigo...sempre bom poder ver a cultura de outros paises...forte e fraterno abraço de otima semanapra ti...

Desnuda disse...

Daniel,

amei as fotos que estão realmente lindas e o poema narrativo indicando e descrevendo a bela ocasião. Parabéns pela excelente postagem.


Carinhoso beijo e ótima semana amigo.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Meu querido, conheci o Chiado 1 dia antes do incêndio, e como deste bairro! Tão rico e mais rico agora com as suas memórias!
Belo poema!

"Quero, um dia, dizer às pessoas que nada foi em vão... Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades e às pessoas, que a vida é bela sim e que eu sempre dei o melhor de mim... e que valeu a pena. (Mário Quintana)"

Beijos, Daniel!
Renata

AFRICA EM POESIA disse...

Daniel


obrigada pelas palavras bonitas
Avó adora mimos sobre os netos...


O Raul Fez Anos...
o Raul é o meu neto mais velho...
é o meu menino e vive comigo.
Agora em nome do Raul

O meu obrigada por tanto mimo...


Beijos


P,S. Vou querero livro...

Marilu disse...

Querido amigo, lindas fotos e poema. Beijocas

Everson Russo disse...

Um belissimo dia pra ti meu amigo,,,muita poesia e muita paz...abraços fraternos sempre.

Lúcia Leme disse...

Belíssima postagem.

Bjus

Carla disse...

lindo este passeio pelo Chiado que dei através das tuas palavras
bom regressar a este cantinho cheio de poesia
um beijo

Everson Russo disse...

Um dia cheio de paz pra ti amigo,,,abraços fraternos.

Pensador disse...

Adorei o poema e as fotos.

Me deu um pouco mais de vontade de conhecer Lisboa. E a certeza de que ainda irei.

Quem sabe seja possível eu e a Loba estarmos aí nas próximas férias?

Abraço!