domingo, 13 de fevereiro de 2011

POEMA CONFESSIONÁRIO


CONFESSIONÁRIO

Assim que veio a escola
Foi como se nascesse
Peguei na sacola
E o mundo corresse
Perguntado o que queria vir a ser
Pensando cogitei bem
Queria ver o mundo correr
De automóveis apenas dois detentores havia
O médico e o prior
Na minha freguesia
Como corolário seria padre, pregador e confessor
Ser médico não queria
Antes confessar damas
Ouvi-las no confessionário
Ouvir os seus dramas
Sabia ter de saber calar
Porém podia ficar a saber como seriam as tramas
Da parte agreste deste mundo
Cheio de dramas e melodramas
Confesso ser pregador, eu ensaiei
Mas depressa de ser padre
De pensar deixei
Algo nunca esqueci do que aprendi
Jamais esquecerei
Ser bom ouvinte, ser leal
Delator jamais, serei
Saber guardar tudo o que ouvia
Enfim, me confessei
Naturalmente, estive no confessionário
Confessei algo da minha real verdade
Foi uma realidade, da verdade o corolário

Daniel Costa


17 comentários:

Sandra Botelho disse...

É necessario ter dom neh meu querido.Bjos achocoaltados e uma linda semana rpa ti

xistosa - (josé torres) disse...

Agora parece-me que os padres já pagam alguma coisa de IRS
Mas é uma profissão privilegiada, bons carros, boas casas, boas comidas, dinheiro no bolso e boas..., bem, ia dizer boas mulheres mas vou conter-me.
Afinal disse-o.
Médico também não é mau.
São inimputáveis e alguns ganham o que querem
Só o m/filho é que teve de emigras para Manchester (UK)

Um abração

Everson Russo disse...

As vezes precisamos confessar,,,abraços de uma bela semana pra ti amigo,,,

Maria Luisa Adães disse...

Daniel

E pensaste ir para padre?

Com consciência (que me parece que tens) seria árduo e austero, mas farias bem a muita gente.
Não foste, podes fazer o mesmo bem
ao teu próximo e continuas a ser filho de Deus e um bom amigo.
Voltei do Brasil!

Beijos,

Mª. Luísa

lita duarte disse...

É, Daniel, você seria um bom padre.
Mas penso que se fosse padre, acho que não teríamos nos conhecido.
Ainda bem que você desistiu em tempo.:)

Beijos.

Drika disse...

Oi Daniel... gostei das rimas que você fez lá no meu blog, sobre as flores =) poeta é poeta, né?!
Sobre o poema... fico desde já agradecida e feliz pela homenagem... vou te enviar uma foto, sim... =)

Abraço no coração!

Drika disse...

Que poema confessor o seu, Daniel... vc tinha vontade de ser padre, é? Ou chegou a ser? =) Saber ouvir é um dom tão necessário nestes dias atuais... as pessoas carecem de ser ouvidas e não julgas...
Bjo no coração! Fica com Deus!

Everson Russo disse...

Um belissimo dia pra ti amigo,,,abraços fraternos.

Pérola disse...

Vc é uma pessoa necessária pq se faz presente demonstrando carinho e dedicação.
Tens minha fiel admiração.
Belo poema,as verdades contidas nele me fazem crer na sua lealdade e isso é o que mantém as amizades sólidas e duradouras.
Beijos meu amigo querido.

Everson Russo disse...

Um belissimo dia pra ti amigo,,,abraços fraternos.

angela disse...

Tem-se o talento, mas nem sempre a vocação. Lindo poema amigo
Saudades. Retornndo de ferias e tentando por a casa em ordem. Vim deixar meu abraço.
beijos

Pérola disse...

Pois bem,eu concordo, vale um poema rs.
Seu comentário fechou com chave de ouro,os misture ao meus e faça deles um obra.
Beijokas meu querido amigo.

Mariazita disse...

Olá, Daniel
Não tinha que ser... O teu destino era outro...
Mas também me parece que o teu interesse era mais pelo confessionário do que outra coisa, confessa :))))
Seja como for estás entre nós, o que é muito bom, e se fosses padre se calhar não estavas aqui a fazer belos poemas, como este, por exemplo...

Muito obrigada pelos parabéns, e pelo teu carinho que me faz tanto bem.

Boa semana. Beijinhos

Desnuda disse...

Daniel,

O poema é lindo e verdadeiro na sua pessoa.



Beijos com carinho querido amigo.

Jacque disse...

Lindo Poema, Daniel...

Everson Russo disse...

Um belissimo dia pra ti meu amigo,,,abraços fraternos.

IMAGENS disse...

Daniel belo poema amigo. Amei.
Uma boa semana.