A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

segunda-feira, 14 de julho de 2014

POEMA A ESCRITORA

 
A ESCRITORA   

 
 
Poderá ser encantadora
Escrever sobre a Lusofonia
Desse movimento ser portadora
Da literatura; a maior valia,
A de expressão Lusa! Lutadora,
Me junto a ela sem fobia,
Fazer como Camões outrora!
Cuidemos de no mundo ter autonomia
Ano da Copa no Brasil; reivindiquemos a hora
Em dois mil e catorze, livros, cultura, senhoria,
Em Estados do Nordeste, três meses foi a demora
Foi paga via aérea, que vergonha, que ironia!
Livros a demorem a chegar, como a construir estádios agora!
Poetas, escritores; gritemos à porfia
Para que se entre numa Primavera voadora
A lembrar este mundo da Lusofonia
Que deve voar rápido a mostrar a sua ponte criadora
Pensemos no nosso mundo em sintonia,
Em sintonia com o agora!
De agora, outra via!
Em mil e quinhentos se criou um espaço linguístico que vigora,
Senhores governantes; acabemos com a mediania!
Para tornarmos, a cultura aglutinadora,
Sem essa seremos sempre a disfonia
A literatura; será do nosso mundo - Redentora!
Nunca mais se faça esperar a soberania,
De leitores, duma escritora! 

Daniel Costa


 

9 comentários:

Marta Vinhais disse...

E gritar bem alto poemas....
Sempre....
E que ninguém se cale...
Beijos e abraços
Marta

Ana Bailune disse...

Oi, Daniel.
Linda postagem, e com uma trilha sonora escolhida com maestria.
Amo Oswaldo Montenegro.

Eduardo Maria Nunes disse...

Literatura da maior valia,
eu li com muita atenção
escrita com sabedoria
o poeta autor tem razão.

Escreve com os dedos
dita as palavras com o coração
apoia na mesa os cotovelos
olha para o ecrã com atenção!

Palavras em todas as formas,
em versos transformadas
tanto em rimas como em prosas
numa ou noutra bem colocadas.

Um abraço, amigo Daniel Costa.

Dorli disse...

Olá Daniel
Lindo poema e um triste clamor
Mesmo que a gente grite, poucos acompanham essa sinfonia.
Beijos no coração
Lua Singular

Graça Pires disse...

É preciso gritar.Sim. Sempre. Porque a cultura deve estar em lugar mais cimeiro.
Abraço.

Mariazita disse...

Meu querido Daniel
Eu costumo dizer:
Cada um deve lutar com as armas de que dispõe!
As tuas, as minhas... as de quem escreve, são as palavras - no teu caso na forma de poemas, já que és poeta por excelência.
É simplesmente vergonhoso assistir a coisas como as que descreves.
Não pares, meu amigo, continua a tua luta, por ti e por todos nós.
Parabéns!
Beijinhos

Vanuza Pantaleão disse...

Poemas gritados com a força do teu coração merecem ser ouvidos.
A foto da nossa querida Severa Cabral dá um colorido todo especial e se mescla à tua Poesia.
Obrigada pela tua carinhosa visita! Abraço gostoso, amigo Daniel!!!

Felisberto Junior disse...

Olá,Daniel
sim...belo poema...a literatura será sempre redentora!
deve-se pensar que se todas as nações desse mundo lusófono, falam a mesma língua, porém cada um a seu modo...pensemos , todos, de igual forma, no nosso mundo em sintonia, em sintonia com o agora, para tornarmos, a cultura aglutinadora ,e que não tenham impasses , como as que descreveu...3 meses de demora...
Obrigado pelo carinho, bela quinta feira,abraços!

Anne Lieri disse...

Que bom ver a Severa por aqui! Uma bela poesia e a musica simplesmente maravilhosa! bjs,