sábado, 8 de outubro de 2016

POEMA COITADO DISSE ELA


COITADO DISSE ELA

Aconteceu em Mirandela,
Falando de poetas e poesia,
Coitado disse ela
Citava Ulisses Duarte,
Antigo colega da donzela
Dedicatória de cortesia,
Num livro como baixela,
Na sua leitura, era o que intuía,
Coitado repetiu ela!
Eu poeta entendia,
Não era engano, era lustradela,
Era o gosto em sinestesia
Poesia, bonita singela
A alma exultante, bulia,
Bulia como uma remadela,
Em mar de calmaria,
Fado de viela
O leitor já o admiraria,
 Admiração acentuada em Mirandela,
Do rio Tuela travessia,
Coitado disse ela!

Daniel Costa




6 comentários:

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Um poema com muita doçura Daniel!
Gostei muito.
Bjs e um ótimo domingo.
Carmen Lúcia.

Ivone disse...

Lindo poema, como sempre, me encantam os belos versos rimados, se me dizes que sou perita em mitologia, tu és perito em belas rimas!
Amei esse belo e lindo poetar, singelo e intuitivo!
Abraços apertados querido amigo Daniel!

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Bom dia Daniel.
Gostei do texto.
Feliz domingo, ai, viu?
Bjins
Catiaho Alc.

Graça Pires disse...

Mais um poeta que não conheço: Ulisses Duarte. Quero ver se actualizo a minha estante de poesia.
Uma boa semana, Daniel.
Beijos.

Jaime Portela disse...

Belo poema, gostei.
Não conhecia o Ulisses Duarte. Vou ler alguma coisa dele.
Caro amigo Daniel, tem um bom resto de semana.
Abraço.

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Bom dia, querido amigo, Daniel, que belo poema, obrigada por compartilhar!
Não conheço o poeta, Ulisses Duarte, mas vou procurar ler sobre ele. Tenha um abençoado final de semana!
Abraços