A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

POEMA MEDO DE AMAR


MEDO DE AMAR

Quando um olhar doce de mulher
Me fixa com afinco, algo sinto
Um anjo, uma flor de malmequer
Porém, pode haver receio de avançar
Espera-se o enleio de quem nos quer
A mulher para mim prefigura uma flor
É assim que vejo florir a ternura
Da ternura resultará o amor
Um grande amor o coração encanta
Desse encantamento virá ardor
Não se deve ter medo de amar
Ter esse devaneio sem receio
No amor solta-se a liberdade
Ele, o amor, é divino
Que haja sempre intimidade
Deleitemo-nos
Com o amor de lealdade
Encha-se o espírito de sofreguidão
Enfim, se peque sem maldade
O que foi pecado, sendo recatado
Passou a um acto de humanidade

Daniel Costa

NOTA: VER "ENCONTROS LUSO-BRASILEIROS DE POESIA", ONDE ESTÁ O SONETO DE MARIA DO SOCORRO, POETISA NORDESTINA. COM QUE ACORDEI ESCREVER POEMAS A DUO.

14 comentários:

SAM disse...

Querido amigo,

bonito, bonito e bonito! Demais...

Beijos e ótima semana, Daniel.

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
Quanto amor e ternura no seu poema, adorei.

Beijinhos
Sonhadora

Marilu disse...

Querido amigo, lindo poema, cheio de ternura e amor..Tenha uma linda semana...Beijocas

Sandra Botelho disse...

Ah! Todo amor vale a pena, mesmo que dele fiquem apenas fragmentos de felicidade, mas sempre será um amor vivido e não desprezado, deixado para trás por medo.
Lindo poema amigo, aliás como todos que vc escreve.
te adoro viu?
Bjos achocolatados

Everson Russo disse...

Belissimo poema amigo,,,acredito eu que nessa vida conturbada,,,todos nós carregamos um medo de amar,,,de entregar todos os sentimentos...abraços de otimo dia pra ti.

Bandys disse...

Querido Daniel,

Lindo demais.
*******************************

Tu eras também uma pequena folha que tremia no meu peito.
O vento da vida pôs-te ali.
A princípio não te vi: não soube
que ias comigo, até que as tuas raízes atravessaram o meu peito, se uniram aos fios do meu sangue, falaram pela minha boca,
floresceram comigo.(P.Neruda)

Beijos no teu ♥

lita duarte disse...

Daniel,

Você sabe das coisas,;)

Beijos.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Daniel, simplesmente amei! Parabéns! E vc ainda pôs esta atriz que é demais, a Muriel, do Casamento de Muriel. Poema contemporâneo, e de Amor! Parabéns, querido!
Deixo um poema meu, que fiz há cerca de 1 hora, porque estou fazendo algo, não só por mim. Por mim, tenho feito e estou muito melhor.
Beijos e Bons e Felizes Dias!



"Sim, porque eu já fui eu ...

Mas cheguei à triste conclusão de que não sou mais eu.

Meu nome, que por isso mesmo, já esqueci,

não interessa mais a ninguém.

Para um médico, sou apenas cliente.

Num restaurante, sou freguês.

Quando alugo uma casa, viro inquilino.

Na condução sou passageiro.

Nos correios, sou remetente.

No supermercado sou consumidor.

Para o Imposto de Renda sou contribuinte,

Com o prazo vencido sou inadimplente e se não pago sou sonegador.

Para votar, sou eleitor; mas no comício sou massa.

Viajar? Viro turista.

Na rua, caminhando, sou pedestre; e se me atropelam sou acidentado;

No hospital viro paciente e para os jornais sou vítima.

Se compro um livro, viro leitor; para o rádio sou ouvinte;

para o Ibope, espectador e, para o futebol, eu,

que já fui torcedor, virei galera.

Para acabar com esse complexo... sim, porque estou complexado ...

aconselharam-me a procurar um terreiro. Mas foi tiro n'água.

Assim que falei com o pai-de-santo, virei mi-zi-fi-i-nho.

Já que, quando morrer, ninguém vai se lembrar do meu nome.

Vão me chamar de finado, o extinto, o defunto e,

em certos casos círculos, até de o desencarnado ...

E pensar que, no meu apogeu, já fui mais eu.

Agora sou Eu e Eu e daí?

+ Beijos********
Amo-te

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pensador disse...

Belíssimo poema, Daniel!

Quanto a ter medo de amar, só o tem que é egoísta e não deseja entregar-se de corpo e alma à pessoa amada.

Abraços!

Everson Russo disse...

Um belissimo dia pra ti amigo,,,paz e poesia sempre...abraços fraternos.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Oi, meu grande amigo! Beijos muitos para quem - não há palavras.


Teus olhos são meus livros.
Que livro há aí melhor,
Em que melhor se leia
A página do amor?

Flores me são teus lábios.
Onde há mais bela flor,
Em que melhor se beba
O bálsamo do amor?
*Livros e flores*
Machado de Assis

Beijos, Anjo!
Renata

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Daniel.

Lindo poema, cheio de ternura e amor. Sem maldade, sem pecado.



BOA NOITE E BONS SONHOS!!!



♥.·:*¨¨*:·.♥ Beijos mil! :-) ♥.·:*¨¨*:·.♥






http://brincandocomarte.blogspot.com/

___________________________________

Everson Russo disse...

Abraços fraternos de otimo dia pra ti amigo...paz e poesia sempre...