A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

POEMA CATEDRAL DO AMOR



CATEDRAL DO AMOR

Tudo terá o seu ritual, a sua regra
Tudo terá a sua catedral
Há assim miríades de catedrais
Dedicadas e tudo com um fim
Por todo o mundo de humanidades reais
Sempre se pensa no mistério das grandes catedrais
Desses grandes templos de fé
Que se foram dilatando pelos novos mundos como normais
Na onda flutuante, a fé seguiu na maré
Antes porém fazia o acto de fé numa das catedrais
É de crer que do amor ficou sempre o lamiré
Como em honra de actos tão transcendentais
Como nasceram as confrarias, mais actos de profana fé
A saborosa comida é tida como acto normal
Enfim, deglutir parecendo um acto trivial, não o é
Uma reunião numa refeição
Um grande feito, é um acto de amor e fé
Terá sempre no pensamento uma humana união
Um amor que existe poderá não estar consumado até
Mais estimula um desejo do coração
É uma forte retaguarda que se sente
Haverá um desejo secreto
Um amor em mente
Um coração sempre irrequieto
Sequioso do amor assumido e irreverente
O íntimo poderá parecer quieto
Porém nunca desmerece, o coração ama e sente

Daniel Costa


10 comentários:

Marta disse...

E que haja sempre esse desejo...
Amar e ser amado...para que nunca se deixe de sonhar e viver....
Lindo como sempre...
O post no Com Amor é novo - espero que gostes...
Beijos e abraços
Marta

Cristina que Ama a Vida! disse...

Vim... olhei e amei tudo isso. Vi carinho. ternura e em especial o talento do nobre amigo. Parabéns meu anjo. Feliz ano novo! Tudo do bom e do melhor! Beijos de Cris.

Jacque disse...

Tenho um selinho pra ti no Blog A CASA DA FADA...

Jacque

Sandra Botelho disse...

Passando pra te desejar um lindo final de semana.belissimas palavras querido, como sempre.
Bjos achocolatados

Everson Russo disse...

O amor sendo sempre pleno,,,sempre sereno,,,alimentaráo o desejo,,,abraços de bom final de semana pra ti amigo.

Olhos de mel disse...

Querido Daniel; um belo poema! Quisera um dia todas as Catedrais, fossem realmente símbolos de fé e do amor, sem ter que receber pra dar. E sim o amor pelo amor, a fé pela esperança, etc... Fora desse contexto querido amigo, seu poema bem poderia servir de exemplo ao mundo. Porque só o amor será capaz de trazer paz aos corações e transformar a humanidade e consequentemente o mundo.
Bom final de semana! QUe ele seja de muito amor, saúde e realizações.
Beijos

Olhos de mel disse...

Querido amigo; todos de certa forma somos culpados pale revolta da natureza. Uns por contribuirem, lançando bombas de grande efeito destruitivo, agrotóxicos, produtos químicos e outros por acomodação e aceitação. Claro que desejar jamais. Mas enquanto não reconhecermos que de alguma forma somos culpados acontecerá cada dia pior. Precisamos ver aonde estamos errados para corrigir.
Acho que tudo passa pela falta de amor, não só aos outros, como com a própria natureza. E ela tem dado sinais de desgaste e revolta.
Talvez não tenha sabido me fazer entender. Desculpe se isso foi o caso.
Bom fim de semana! Beijos

Vanuza Pantaleão disse...

"...o coração ama e sente."

Ama e sente sempre.Pode ser numa catedral ou mesmo numa modesta capelinha isolada à beira de um riacho.

Preparo-te uma surpresinha, tá? Depois te conto.
Beijinhos de final de semana, Daniel!!!

Pérola disse...

O amor sempre presente.
Este poema tem todo um brilho especial,gostei muito meu querido.
Beijo grande.

Everson Russo disse...

Um belissimo sabado pra ti amigo,,,abraços fraternos.