A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

quarta-feira, 20 de abril de 2016

POEMA QUANDO EU FUI ESTENÓGRAFO



QUANDO EU FUI ESTENÓGRAFO
 
Depois de dactilógrafo
Imaginei novo patamar
Quando eu fui estenógrafo
Visei formação programar
De Xenofonte, coreógrafo!
Saber nova fórmula de declamar,
Do pensador de Atenas hológrafo!
Anotando, em traços poder afirmar
Quando eu fui estenógrafo
Julguei o currículo alfazemar
Atributos de veloz fonógrafo
Diploma passado a animar
 Arvorado em cosmógrafo,
 Estenógrafo, nem valia me diplomar,
Podia ter parado num parágrafo
Porém, me julguei afirmar,
Me julguei filósofo,
Reportando, a confirmar,
Quando eu fui estenógrafo
Antes de poder a voz cromar,
Tirei curso de estenógrafo.
 
Daniel Costa
 

7 comentários:

✿ chica disse...

Quanta coisa já foste,Daniel! Valeu pra vida e poesia! abração,chica

Pedro Luso disse...

Daniel,
Gostei muito de seu poema, com tema tão singular. Bom mesmo. Parabéns.
Um abraço.

Renata Maria disse...

Poema brilhante que narra mais uma das suas tantas experiências. Amei.
Beijo*

Felisberto N. Junior disse...

Olá, Daniel...bacana compartilhar + de suas formações, em forma de poema...aqui, no Brasil , a estenografia é muito utilizado no sistema jurídico, por ser um método mais rápido do que a escrita comum -parênteses:pelo que me lembro, taquigrafia é a mão,caneta, lápis e estenotipia,existem máquinas com símbolos e abreviaturas de palavras e frases + comuns- e nesse caso do poema, uma nova fórmula de declamar, um estenógrafo terá sempre uma velocidade maior. Belos dias,abraços!

Magia da Inês disse...

╰✿゚ه° ·.
A estenografia parece tão misteriosa e difícil como a poesia!

Bom fim de semana!
Beijinhos.
✿゚ه° ·.

Maria Rodrigues disse...

Uma vida bem preenchida de conhecimentos meu amigo.
Beijinhos
Maria

Graça Pires disse...

Ao longo da vida, tanto conhecimento, meu amigo...
Um beijo.