segunda-feira, 24 de agosto de 2009

poema

LUCINDA

Aquela mulher
Aquele pedaço!...
Não se imagina sequer
Algures no Ribatejo
Encontrei a insinuante mulher
Coisas que dão certo
Encontrei-a sem prever
Belíssima, interessante mulher
Passeava, despertava
Atenções a um homem qualquer
A interessante mulher
Seu olhar faiscante
Seguia, visão do outro mundo
Ainda que ser pensante
Atraía qualquer homem
Ainda que galante
Pegava a faísca
Ambicionando ser triunfante
Afazeres esquecia
Procurando sarilho
O trilho seguia
Aquela mulher!
Aquele pedaço
A grandeza feminina
A dominar o espaço
Tornando-o sideral
Visão daquele belo regaço
Muito mulher afinal

Daniel Costa


12 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Muito bom, como sempre, o poema, Daniel, que não me era desconhecido. Você sabe mesmo exaltar a mulher. O que fez para mim e me entregou hj, que publiquei no EU E DAÍ? está atraindo uma enxurrada de comentários, coisa que sempre acontece quando vc me dedica poemas e eu os publico.
Grande poeta, memoralista, filatelista, homem.
Beijos, e o meu carinho,
Renata

SAM disse...

Estou amando esta serie de poemas a mulher.


Beijos e ótima semana, Daniel.

Sandra Faria disse...

MUITO BOM DANIEL, MOSTRA TUA SENSIBILIADE
OBRIGADO POR PARTILHAR DO SEU SABER CONOSCO.
ABRAÇOS
SANDRA

FOTOS-SUSY disse...

OLA DANIEL, BELISSIMO POEMA AMIGO...GOSTEI MUITO...
BOA NOITE!!!

ABRACO DE CARINHO.

SUSY

Ana Martins disse...

Lindo Daniel, muito lindo!

Beijinhos,
Ana Martins

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO DANIEL, MARAVILHOSO POEMA AMIGO... ADOREI!!!
ADORO-TE AMIGO,
FERNANDINHA

Everson Russo disse...

Meu amigo poeta, belissimos versos que forma um belissimo poema, quantas e quantas vezes não escrevemos em homenagem a maraviilha das mulheres, seja de qual forma for, de onde elas estiverem, e de como elas estiverem, sempre serão inspiração...parabens...forte abraço e tenha uma otima terça feira...

xistosa - (josé torres) disse...

E ainda há quem diga que elas representam o sexo fraco.
Seremos nós o forte?
Ou invertidos os dizeres, somos nós que nos derretemos ...

Muito bom para o maravilhoso mundo feminino.

Dona Poesia disse...

Daniel ,Daniel!
Haja musas, hein meu amigo lusitano? A musa do poema de hoje tem um belo perfil, e um rosto deveras expressivo, gostei!
Muito juízo nessa hora, garoto!

Rs rs rs ...Brincadeirinha.
Você sumiu do meu blog, que pena.eu fiz ou disse algo que lhe chateou?
Mesmo assim, sempre leio o seu. Um grande abraço!

Bandys disse...

Daniel,
Essa serie de escrever sobre as musas esta maravilhosa.

Parabéns.

Eu entendo amigo, às vezes tambem não consigo ir em todos os blogues..

Beijos

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Daniel.

Mais uma bela mulher em sua coleção. Lucinda!!

Muito bonito o seu poema, aliás como sempre!! :-)

********




UMA ÓTIMA SEMANA PARA VOCÊ!!!




“Os ventos que às vezes tiram
algo que amamos, são os
mesmos que trazem algo que
aprendemos a amar...
Por isso não devemos chorar
pelo que nos foi tirado e sim,
aprender a amar o que nos foi
dado. Pois tudo aquilo que é
realmente nosso, nunca se vai
para sempre...”
Bob Marley





♥.·:*¨¨*:·.♥ Beijos mil! :-) ♥.·:*¨¨*:·.♥


http://brincandocomarte.blogspot.com/

___________________________________

Dona Poesia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.