A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Poema





ANA ISABEL

Não se fecha numa Babel
A enternecedora mulher
A bonita poetisa Ana Isabel
Mora na cidade João Pessoa
Do mundo a segunda mais verde
Fundada no tempo de reino de Lisboa
Foi no século dezasseis
Tem muito de história, não foi à toa
A bela cidade de Estado do Paraíba
No pedaço mais oriental das Américas
É ali que Ana Isabel cativa
Romântica mostra-o em cada poema
Sensual elegante e bela
Na poesia reflecte-o fazendo como tema
Ana Isabel, a professora
Abordará os alunos suavemente,
Docemente como grande senhora
Sempre a elegância
De uma mulher romântica, sedutora
Quando ela se vagueia pela cidade
Que nunca perdeu o brilho de outrora
Pela cidade de João Pessoa
A mulher interessante atrai como uma aurora
Na sua beleza vai cintilante
Como uma pedra preciosa
Com um “glamour” de diamante

Daniel Costa

19 comentários:

lita duarte disse...

Belas fotos.
Belo poema.

Beijos Daniel!

Pérola disse...

Bela homenagem meu querido.
Ñ a conheço, mas se ve pelos escritos q deve ser uma formosura.
Um beijo grande e muito obrigado pela visita.
Beijokas.

angela disse...

Lindo poema Daniel.
Fotos inspiradoras e a homenagem fiou bem bonita.
beijos

Felina Mulher disse...

Boa tarde anjo querido.

Vc sempre fala com pura emoção e voa pelas galáxias mais distante e navega por mares azuis, mutantes, tudo isso para homenagear as tuas musas.Mais uma vez vc está de Parabéns!

Um beijo e uma semana de muita Paz.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo, querido! Linda Ana Isabel! Com pressa, mas não poderia deixar de vir e ler a + esta Maravilha! Corro, pois vou a doctor e tomar um chá com uma amiga veínha feito euzinha.
Beijos!
Tenha uma excelente continuação de Dia!
*********

*Duas velhinhas muito bonitas,
Mariana e Marina,
estão sentadas na varanda:
Marina e Mariana.

Elas usam batas de fitas,
Mariana e Marina,
e penteados de tranças:
Marina e Mariana.

Tomam chocolate, as velhinhas,
Mariana e Marina,
em xícaras de porcelana:
Marina e Mariana.

Uma diz:”Como a tarde é linda,
não é, Marina?”
A outra diz: “Como as ondas dançam,
não é Mariana?”

“Ontem, eu era pequenina”,
diz Marina.
Ontem, nós éramos crianças”,
diz Mariana.

E levam à boca as xicrinhas,
Mariana e Marina,
as xicrinhas de porcelana:
Marina e Mariana.

Tomam chocolate, as velhinhas,
Mariana e Marina,
em xícaras de porcelana:
Marina e Mariana.

As Duas Velhinhas
Cecília Meireles*

Até ++++++

Fernanda disse...

Amigo querido, Daniel!

São escolhidas a dedo as tuas homenageadas.

Linda a tua poesia, linda a musa inspiradora.

Hoje estamos a festejar no Sempre Jovens os + de 50 mil visitantes.
Estou muito feliz.

Beijinhos

LuaSempreCheia disse...

Meu Doce Amigo Daniel...

Faltam-me palavras...
A verdade não se esconde
E não consigo conter,explode em meu peito
Quer saltar e sair
De mim para ti...
Que lindo!
Minha alma embargada, pela emoção, dessa homenagem tão bela em forma de poesia.
Não sei, se sou merecedora de tanto carinho.

Grande beijos cheinho de emoção...Ana Isabel

Elaine Barnes disse...

Fotos maravilhosas! Vai ficar conhecido como poeta das mulheres. Bom demais né?! parabens a homenageada e a você, eterno cavalheiro. Montão de bjs e abraços

Desnuda disse...

Que maravilha! Que surpresa boa conhecer a poeta Ana Isabel de João Pessoa! Cidade que amo e sou " viciada" rsrs. Terra de gente boa, acolhedora , de cultura e rica em tradições. Belíssimo e merecido poema-homenagem, amigo! Parabéns Daniel e Ana Isabel!


Beijos, com muito carinho e admiração.

Whispers disse...

Meu querido amigo
Venho te deixar um beijo do tamanho do mundo.
Mil beijos
Rachel

Everson Russo disse...

Meu amigo, ninguem tem tanto dominio das palavras quanto voce em fazer uma homenagem, fico aqui apenas a apreciar e imaginar a felicidade de suas musas,,,forte e fraterno abraço de amizade e paz.

Maria Valadas disse...

Os meus parabéns pela dedicatória à
poetisa que o inspirou neste belo poema,Daniel.

Belas fotos que nos prsenteia.

Uma boa semana.

Beijos.

poetaeusou . . . disse...

*
parabens á Ana Isabel,
extensivos a ti !
,
abraço,
,
*

Mariazita disse...

Olá, Daniel
Receio estar a repetir-me, mas...o que dizer de diferente???
A verdade é que os teus poemas são sempre bons, e as tuas homenageadas têm todos os motivos para se sentirem orgulhosas com os poemas que lhes dedicas - sei do que falo porque já por lá passei :)
Portanto...parbéns aos dois.

Beijinhos

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, Daniel!

Passa uma borboleta por diante de mim
E pela primeira vez no Universo eu reparo
Que as borboletas não têm cor nem movimento,
Assim como as flores não têm perfume nem cor.
A cor é que tem cor nas asas da borboleta,
No movimento da borboleta o movimento é que se move,
O perfume é que tem perfume no perfume da flor.
A borboleta é apenas borboleta
E a flor é apenas flor.

Alberto Caeiro

+ Beijos, querido!
Boa continuação de Dia!
Renata
Não vim cumprimentá-lo antes porque a gripe chata me pegou de novo (chuva ontem à noite).

AFRICA EM POESIA disse...

adoro passar por aqui...


Amizade verdadeira



Letras escolhidas
Dentro do alfabeto
E com letras escolhidas
a Amizade aparece...

É um sonho ter um amigo
É uma paixão saber que tem amigo
É loucura saber que é amigo
E com sonho, paixão e loucura, sou mesmo feliz...

E amizade quer muito sacrifício
Por vezes fechar os olhos para não ver...
Temos que calar para não ferir...
Temos que afagar, quando acontece bater...

Mas a amizade vai nascendo
E vamos deixar que se enraíze
Para que dentro do nosso peito
Haja mesmo lugar para mais um Amigo...



Lili Laranjo

Ana Martins disse...

Caro Daniel,
Mais uma bela homenagem, você é incansavel!

Bem-Haja!

Beijinhos,
Ana Martins

Everson Russo disse...

Deixando um forte abraço de paz ao amigo e desejando um belo dia de poesia....

Bandys disse...

Se pudesse deixar algum presente a você
deixaria aceso o sentimento de amar
a vida dos seres humanos
A consciência de aprender tudo
o que foi ensinado pelo tempo afora
Lembraria os erros que foram cometidos
para que não mais se repetissem
A capacidade de escolher novos rumos
Deixaria para você se pudesse
o respeito àquilo que é indispensável
Alem do pão o trabalho
Além do trabalho ação
E, quando tudo mais faltasse um segredo
o de buscar no interior de si mesmo
a resposta e a força para encontrar a saída

Beijos