sábado, 31 de janeiro de 2009

poema

SOMOS TODOS IGUAIS

Censuro-te mundo
repara onde vais
reflete, medita, escuta
Somos todos iguais

Censuro-te mundo
pelas tuas guerras tribais
lutar para quê afinal?
Somos todos iguais

No teu paraíso... mundo
são todos netos, filhos e pais
não quererá isto dizer
que somos todos iguais?

Homens podem ser; heróis, santos...
De outros falam os jornais
entre eles há semelhanças
a morte os torna iguais.
A mim consola essa negrura
que torna todos iguais

Miguel Foz (pseudónimo de Daniel Costa) - in extinto "jornal do Oeste" de Rio Maior - 16/09/1972.

14 comentários:

Val Du disse...

Oi, Daniel.
Esse teu poema é atualíssimo.

Beijos.

Sonia Schmorantz disse...

Se somos todos iguais, porque há discriminação? O fato de alguns pensarem que são diferentes e que tudo podem é que geram as guerras...
Um poema do nosso tempo, muito bom
um abraço e bom domingo

Bandys disse...

Daniel,

Um beijo

Ana Martins disse...

Caro Daniel,
Excelente!!!!
Adorei!

Beijinhos,
Ana Martins

Sonia Schmorantz disse...

Acredite que sua semana vai ser muito feliz,
que todos os dias o céu tem uma nova cor
e que o Universo conspira a seu favor,
sempre que você assim o quiser.
Assim que seus olhos avistarem o sol pela manhã
lembre-se que este novo dia está por ser escrito
e pode ser sempre um dia feliz,
se você se permitir assim...

Marta Vasil disse...

Daniel

Deixei no meu blogue, com muito carinho, um miminho para si.

Voltarei

Beijinho

MV

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Nascemos e morremos iguais, no plano da natureza. Infelizmente, vivemos em sociedade e somos desiguais, inevitavelmente.
Um abraço,
Renata

Desnuda disse...

Somos todos Um, somos todos iguais - netos, filhos e pais.....Lindo, Daniel!


Grande beijo

Marta Vasil disse...

Daniel

Publicou este poema antes de 1975? não sofreu consequências por isso. algo espelhado, algo nublado vejo nele "poderosos sentires".
Quase 40 anos passados as palavras do seu poema continuam na mais alta "moda internacional".
Quanto ao selo, basta salvá-lo nas suas imagens e depois importá-lo para o blogue, como qualquer imagem. Só sei fazer assim.

Um abraço e semana de alegrias

MV

Bandys disse...

Daniel,

Saudades!!
Beijos

Laura disse...

Sim, são todos iguais, mas no pensamento não...Há homens e homens, com H grande e outros quase sem ele...omens pois, os de alma escura e sem coração... Beijinho da laura e só do outro lado reparam que; afinal, são todos iguais...

xistosa - (josé torres) disse...

Desculpe discordar.
Nem todos somos iguais.
Uns nascem em lençóis de linho, outros em lençóis de chita ... uns morrem ... outros são imortais.
Só na animalidade somos todos iguais.

xistosa - (josé torres) disse...

Desculpe discordar.
Nem todos somos iguais.
Uns nascem em lençóis de linho, outros em lençóis de chita ... uns morrem ... outros são imortais.
Só na animalidade somos todos iguais.

Parisiense disse...

Sem duvida Daniel, somos todos iguais......pena que há quem pense que vale mais porque a vida lhe sorriu melhor......
Mas no dia em que se for será como todos os outros....

Gostei deste poema.