A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

quinta-feira, 26 de março de 2009

poema

INÊS

Graça pequena
Siso traquina
Menina risonha e serena
Docilidade feminina
É assim uma pequena senhora
Uma grande menina
Com algo de senhora professora
De trabalho, a ala
Que também acha dela Inês
Pode ser escritório, mas jamais sala
Cinco anos e meio, criança
Ainda brinca com o Danicas
Fica a lembrança
De ser bébé não se lembra
Nem de que a sua meninice
Ajudou avô
Parece tolice
Mas este lembra
Ambas e a sua segunda meninice
Duas intervenções cirúrgicas
Sofridas sem pieguice
Da última ainda convalescente
Sem tolice
Tão bem, com equipa médica, conversou
Que foi premiada
Com trajo de Doutô
Que tenhas sempre beleza interior!...
Como tinha o avô do teu materno avô!...

Daniel Costa

PRÉMIO ROXIE

Dando seguimento ao pedido e postagem da amiga Mariazita repasso este prémio aos seguintes bloguitas, por quem tenho consideração.

Indico os seguintes:

Olhos de Mel

Renata Maria Parreira Cordeiro

Sorriso

Esconderijo da Bandys

Val du

Não a deixando de ter consideração por bastantes outros, cujos nomes seria fastidioso enumerar. A selecção recaiu nestes, porque apenas disponho de cinco. Adoptei um critério do foro intímo, nomeadadamente: A primeira, por ter sido a primeira comentadora do meu primivo blogue daniel milagre, a ultima por considerar a benjamim da turma.

Convido estas amigas a fazerem, cada qual, cinco convites. Clicando neste linck, para recolherem o prémio, intoduzi-lo no poste, para repassar, o que não faço porque tecnicamente, ainda não consigo.

17 comentários:

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Gostei muito, Daniel. Esses poemas de reminiscências seus são muitos belos e, como poemas, têm muita musicalidade, ritmo.
Ainda não publiquei o poema que vc me mandou, porque não achei uma ilustração boa, mas fiz dois posts no Feminina. Vá lá, quando tiver um tempinho.
Um beijo,
Renata

Bandys disse...

Daniel,

Estava sem computador, só hoje pude entrar na internet e ter essa surpresa que voce me fez.
Obrigado amigo..
Sobre teu poema sempre belos.

Deixo um beijo e desejo uma quinta de muita paz
E agradeço mais uma vez!!

SAM disse...

Que lindo, Daniel! Repleto de ternura...

Um beijo, querido amigo

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Já postei o Prêmio Roxie, respondi às perguntas e o repassei.
Um beijo, Daniel, e obrigada,
Renata

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Daniel:
Vá buscar sua rosa no Galeria, pois hoje faz 1 ano que abri meu primeiro Blog e já acumulei mais de 26.000 visitas.
Um beijo,
Renata
PS: Desculpe se o perturbo de novo

Cleo disse...

Sempre bom vir te visitar e acolher a doçura de teus poemas.
Beijos
Cleo

Olhos de mel disse...

Querido amigo, obrigada pelo carinho e pelo prêmio!
Meu amigo, sua prosa poética é pura ternura e carinho!
Bom fim de semana! Beijos

Mariazita disse...

Caro Daniel
Lindíssimo, o poema à tua netinha.
Cheio daquela ternura que só os avós sentem pelos netos...
Até o nome é lindo - INÊS - eu gosto muito.
Vamos ver se conseguimos resolver o problema da colocação dos selos.

Uma noite tranquila.

Beijinhos
Mariazita

Sonia Schmorantz disse...

Só veremos um mundo melhor se o olharmos pelos olhos de uma criança, ter netos deve ser uma maravilha, pois conviver entre eles é voltar a ser um pouco criança outra vez.
um abraço

Bandys disse...

Daniel,
Vi sim claro.
E te agradeço por isso.
Eu tinha os selos todos num slides mais não sei como eu consegui deletar todos eles. Estou fazendo outro pra coloca-los.
Um beijo e um final de semana com muita paz

Tatiana disse...

Sempre terno. Lindíssimo poema!

Estou em época de provas na faculdade, por isso acabo ficando em falta com as visitas...
Mas assim que passar essa fase, voltarei á visita-los como era de costume.

Tenha um final de semana muito especial!
Um abraço carinhoso

jo ra tone disse...

Daniel,
Homenagem e calor humano bastante por aqui.
Há sempre alguém que se distingue.
Abraço

xistosa - (josé torres) disse...

Um poema íntimo que na intimidade transbordou para todos quantos por aqui passam.
Por vezes temos que mostrar que temos família e em poema para uma netinha é sempre uma ternura.
Falo sem experiência em netos.
mas tenho mais duma dúzia de sobrinhos netos ... e os netos duns vizinhos que aqui em casa, até sardinhas assadas comem...

Um abração e um bom fim de semana.

Maria Valadas disse...

Um ternurento e belo poema em homenagem á tua netinha,

Simplesmente maravilhoso.

Um lágrima insubordinada caiu... ao ler-te.

Parabens meu amigo Daniel.

Bom fim de semana,

beijos de amizade.

Cristiana Fonseca disse...

Olá Daniel,
não tenho palavras diante de tão perfeitas poesias.
tua sensibilidade encanta, belíssima poesia.
Abraços,
CrisFonseca

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Daniel:
Venho fazer-lhe um convite. Como sabe, sou tradutora e traduzi, com uma amiga, O MORRO DOS VENTOS UIVANTES, que foi muito premiado aqui no Brasil.
Abri um Blog chamado ARTE para publicá-lo aos poucos. As postagens serão feitas sempre aos domingos e serão pequenas. A que fiz hj é um pouco maior porque pus a introdução. Acho que serão necessários uns dois anos para publicar o livro inteiro. Quero convidá-lo a participar dessa leitura. Para tanto, vc tem que linkar o Blog:
http://blogliteraturarenata.blogspot.com
Sei que já deve ter lido a obra, mas essa edição que publico tem cerca de 300 notas de rodapé, e um apêndice com críticas de quando o livro foi lançado e sobre a vida de Emily Brontë. Gostaria muito que aceitasse o meu convite. Só levará 5 minutos para ler.
Um beijo,
Renata

Laura disse...

Claro que a netinha Inês, é os olhos do avô babadinho de todo, nota-se que quando falas nela, trazes a aurora e o sol a nascer, contigo... é tão bom ter um avô, ...tão bom ter netos (ainda não tenho ma souço fala rneles, enfim...hei-de ter também e depois te direi o que penso...mas pelo que dizes, mas, que delicia..Um beijinho da laura, ausenta na escrita, presente em pensamento..