A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

poema


DONA MICAS

Na aldeia do Oeste
Num dia invernoso, agreste
Nuvens negras no céu
Tudo escuro como breu
O farol da Berlenga
E do Cabo Carvoeiro
A deitarem urros no éter
Alertando o marinheiro
Dirigindo-se mais ao timoneiro
Na costa a sul do Carvoeiro
Avistam-se ondas muito altas, medonhas
Ululam ao desfazerem-se na rocha
Fazendo estrondo como que a bater o pé
Pareciam dirigir-se a humanos sem fé
Dona Micas segue rua acima
Como que a visar os quatro moinhos
Cada vez mais a eles se arrima
Segue com o seu manto negro
Qual bruxa maldita, a meter medo
No cordame das velas dos moinhos
Assobiam búzios tristonhos
A bruxa, qual fantasma negro maldito
Vai distribuindo conselhos
Dizendo: é prenúncio do finito!
Ninguém acreditava na dita
Porque teriam esperança
Num Deus de justiça bendita

Daniel Costa

13 comentários:

Andresa disse...

Amigo que lindo esse poema, passei no seu cantinho de selo, retirei e depois vou postar no meu blog.

Um lindo dia
Beijos no coração

FOTOS-SUSY disse...

AMIGO DANIEL, BELÍSSIMO POEMA MEU QUERIDO... FASCINOU-ME!!!
UM BELO DIA PARA TI, BEIJINHOS DE CARINHO,

SUSY

Everson Russo disse...

Belo poema meu querido amigo, me fez lembrar a infancia, quando a gente ouvia aquelas historias de bruxas, contadas pela avó...forte abraço, agradeço o selinho oferecido, eu volto pra pega lo, ainda tenho que organizar uma pagina no Livro pra guardar presentinhos...otimo dia pra ti..

SAM disse...

Bom dia, amigo Daniel! Mais um lindo poema, como sempre.


* Daniel obrigada pelos selinhos. Postei dois que ficaram lindos com a minha postagem de hoje! Postarei com prazer e carinho os demais.

Carinhoso beijo, amigo.

Val Du disse...

Daniel

Adorei a Dona Micas, hehehehe.
Essas figuras meio bruxas, meio anjos são demais.

A foto é linda!
Sou fascinada por relâmpagos.

Beijos

Whispers disse...

Querido Daniel!
Olha que as bruxas as vezes tem razao.
Dizem que o diabo se vestiu de anjo, com rosto lindo para roubar as almas hiihih.
Meu Amigo, venho te dizer um ate ja, amanha eu parto para os estados unidos e levo contigo um tantinho da tua amizade.
Ate a minha volta mil beijos
Rachel

VANUZA PANTALEÃO disse...

Legal, Daniel e tem um ritmo muito gostoso. Daria até pra fazer um samba, rssss.
Beijinhos!!!

Marta disse...

Belo poema com velhas histórias de bruxas, lutas de bem e mal...
Obrigada pela visita e comentário que deixou no Blog da Renata.
Visita-me também no Com Amor, dá-me a tua opinião sobre o poeta que escolhi.
Beijos e abraços
Marta

Ana Martins disse...

Este poema arrasta com ele toda a força dos relâmpagos destruindo a capacidade do mal da "bruxa" D. Micas!

Gostei muito Daniel, também a mim me fez lembrar algumas histórias de infancia.

Beijinhos,
Ana Martins

Sonia Schmorantz disse...

Mesmo parecendo assustadores os relâmpagos dão um belo espetáculo na natureza!
Gostei muito do poema.
abraço

Everson Russo disse...

Deixando ao meu amigo e super poeta um forte abraço e o desejo que tenhas uma belissma quarta feira...

Bandys disse...

Daniel,
Lindo poema.

ja peguei o selinho, que guarde de ♥ pra posta-lo todos juntos.

beijos

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, Daniel querido!
Lembro-me de que li este seu poema tão misterioso e lúdico num outro Blog seu, casalfoz, se não me falha a memória. O texto é muito encantador, misterioso, histórias de bruxas, relâmpagos. Lembram-me os contos fantásticos para adolescentes de Alexandre Dumas, que tanto li nos meus 16-18 anos, e que viria a traduzir muito depois. Perfeito poema, amigo.
Beijos e bom dia,
Renata
PS: Obrigada pela sempre gentil e bem vinda visita. Já vou aos seus outros Blogs