A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Poema




AMOR POR CORRESPONDÊNCIA

Não se trata de doença
Que fique claro, não foi raro
O Amor por correspondência
Se hoje se pode namorara a toda a hora
Com um teclado e um vídeo chega-se,
Chega-se a outro continente sem demora
Há pouco, no século passado
Uma carta com juras de amor
Demorava dias a chegar a outro lado
Em cartas fiz chegar ardor a uma pequena
Num Domingo viajei a Milagres
Aconteceu o meu e o coração e o da morena
Não se encontrarem sintonizados
A viagem serviu apenas para terminar a cena
Deuses e deusas e as guerras?
Imensos amores por correspondência
Tantas quimeras
Tantas travessias do oceano
Tantas frustrações no cais das esperas
Tal como o vídeo de hoje é uma ciência
Amou-se viveu-se e vibrou-se
Com o mel do amor por correspondência
Por carta muito de amou
Em de delírios de sonhos e desvelos
Afinal muito se sonhou
Foi um mundo de sonhos
Que acabou
Questionarei, por bem
Como numa canção do século passado
Cartas de amor quem as não tem?

Daniel Costa

17 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo! Sonhos, cartas todos os têm. Os sonhos, cartas não se acabaram, Recomeçaram.

Uma carta para nós


O Olhar do Outro é o que nos faz Viver em Paz(acréscimo da Rê)

Essa é uma declaração de amor a nós

Não tenho nenhuma pressa em morrer

Não tenho nenhuma pressa em terminar essa carta

E voltar a ela é como um renascer

Preciso cuidar de cada sílaba

Uma carta pra nós assim merece

Merece ser um pedaço

Um pedaço de vida

Pela via do que não se esquece

Saímos em direção ao fim

Como quem procura um começo

Foi um turbilhão de emoções

E veio o primeiro beijo

Veio o primeiro beijo o primeiro beijo

Já passamos juntos por tantas coisas

Se for contar o tempo é curto

E até foi preciso entrar

Numa onda

Entrar numa onda sem futuro

Mas nosso amor foi maior que o desespero

Medo de dia amor de noite

E resolvemos continuar tudo

Apesar do mundo apesar de tudo

Pois o olhar do outro é o que nos faz viver em paz

Saímos em direção ao fim

Como quem procura um começo

Foi um turbilhão de emoções

E veio o primeiro beijo

Veio o primeiro beijo o primeiro beijo

Veio o primeiro beijo o primeiro beijo*

Composição: Rodrigo Santos/Mauro Sta Cecília/Betinho

Beijos, querido Daniel.
Renata

Elaine Barnes disse...

Bem amigo, nunca recebi uma carta de amor,mas, imagino o quanto devia ser bom. Hoje a gente conhece as pessoas pela net, usa cam pra ver o rosto, a expressão e mesmo assim quando se encontra pessoalmente raramente rola a química e quando rola e um lado deseja dar continuidade, o outro geralmente não quer.Enfim, o romance mudou de cara e de objetivo também. Porém,o lance da sintonia ainda é o mesmo. Melhorar o que somos,perseverar no que acredita para atrair pessoas que tem a ver com o que desejamos pra nós. Lindo seu post. Montão de bjs e abraços

Felina Mulher disse...

Ah meu querido, era tão bom a época que recebíamos cartas de amor,mas hj elas foram substituídas por torpedos e emails...acho que não tenho mais nenhuma pra recordar.

Fica aki meu beijo carinhoso.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Boa Noite, meu querido.
Já me recolho.
Durma bem.
Beijos
Renata

Amigos Sao eternos disse...

Cartas de amor email de amor msn da paixão e viva nosso meio de comunicação.

angela disse...

Lindo poema e de fato: Quem não as tem?
beijos

Maria Soledade disse...

Ai meu querido Daniel, que saudades desses tempos em que recebíamos e escrevíamos cartas de amor!Eu recebi muitas nos meus "velhos tempos"como costumo dizer.Cartas com poemas(de amor),cartas com cheirinho de...amor!!Mas esse século que foi ontem acabou, e apenas sobrou a tecnologia que com toda a simplificação nos roubou essa emoção!...


Lindo o teu poema.Parabéns

Beijinhos Grandes

SAM disse...

Querido amigo, um belo poema que me fez lembrar Fernando Pessoa:

Todas as cartas de amor...

Fernando Pessoa
(Poesias de Álvaro de Campos)

"...As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas...."

E você neste poema descreveu algo bem comum em outra época. Hoje este resgate veio através de emails. O amor voltou com todo o seu romantismo, sonhos e esplendor.


Carinhoso beijo.

lita duarte disse...

Daniel,

Muito interessante.
Cartas de amor são especiais.

Beijos.

Everson Russo disse...

São sonhos,,,são desejos distantes,,,vontade de estar perto, virar poesia do toque,,,mas se o amor é verdadeiro,,,nem a distancia separa,,,um dia os corações se juntam e fazem um mundo...abraços amigo e um belo dia pra ti.

Pensador disse...

Daniel,
Recentemente vi uma reportagem dizendo que, mesmo com e-mail e celulares, muitos soldados na frente de batalha ainda trocam cartas com suas amadas.
Mesmo estando próximos, nada melhor que uma carta de amor!
Um abraço, amigo, boas semana!

Whispers disse...

Querido Daniel,

Que bom recordar cartas de amor
As ter pra um dias as reler e matar saudades.
Mil beijos
Rachel

Fernanda disse...

Olá querido amigo Daniel!

Cartas de amor...
pois é quem as não teve /tem....

Muito belo o poema e muita bela a musa, como sempre.

beijinhos

Bia disse...

BONITO:)

Everson Russo disse...

Um fraterno abraço ao amigo pra desejar bom dia....

Mariazita disse...

Nós, as pessoas do nosso tempo, podemos, se as não rasgámos, ter ainda algumas cartas de amor.
Os jovens de hoje terão que contentar-se com "emails de amor" ou "msm's de amor". Não me parece que tenha o mesmo adorável romantismo :)
Parabéns pelo lindo poema
Beijinhos

Felina Mulher disse...

Apesar de achar um charme um homem de cachimbo, posso dizer que fizeste uma grande e sábia escolha ao optar pela vida sem ele.Lá no Felina tu podes tudo meu querido, fique à vontade quanto ás fotos.

Uma semana cheia de Paz e Amor.


beijos no teu core.