A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

POEMA CHEGOU EM SURDINA



CHEGOU EM SURDINA  

Catita e traquina
Em elo forte se tornou,
Chegou em surdina
Como oiro azul ficou
Como uma doce menina,
  Os dias do meu viver doirou
Terna e doce toxina,
Receita que me salvou
Bela e terna enzima,
O meu viver adocicou
Bola de platina,
O meu espírito povoou
Altura divina,
Na vida o meu ser adotou
Luz forte de vitamina,
A que o meu eu se apegou,
O carrossel que me anima,
 Meu coração tocou
Chegou em Surdina!

Daniel Costa

 

 

13 comentários:

Célia Rangel disse...

Sem dúvida, um belo poema que reflete uma profunda vivência.
Abraços.

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Belíssimo poema e com muita profundidade em cada palavra.
Parabéns Daniel.
Bjs
Carmen Lúcia.

✿ chica disse...

Que lindo poema e que bom ver a Severa por aqui! Que ela chegue pra todos nós, com a volta do blog! Se souberes,me avisa,tá? abração,linda semana,chica

Magia da Inês disse...

✿⊱•°

Chegou em surdina e a todos encantou...
Boa semana!
Beijinhos.
¸.✿⊱╮╮

Ivone disse...

Que lindo poetar amigo Daniel, ótima inspiração!
Amei ler!
Abraços!

Vanuza Pantaleão disse...

Severa
Quanta saudade sinto dela
Fico sempre à espera
Dessa menina tão bela...

Beijinhos!!!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo e profundo. Gostei muito.
Beijos,
Renata

Marta Vinhais disse...

Como sempre, um poema de encanto...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Vanuza Pantaleão disse...

Já fiz a quadrinha ontem para a musa Severa, mas hoje venho te agradecer pela confiança que depositas nas minhas parcas "habilidades cinematográficas", rs. Grande amigo é você, Daniel!
Olha, só para te informar: teus livros estão fazendo sucesso nos grupos de leitura que frequento por aqui. No domingo passado, fizemos uma boa explanação sobre os mesmos. Fomos até aplaudida e quero passar esses aplausos a você, o único merecedor deles.
Beijos no teu coração!!!

Rosemildo Sales Furtado disse...

É assim mesmo meu amigo! Quando menos se espera, a felicidade vai chegando de mansinho, devagarinho, com jeitinho e, de repente, de forma severa, apossa-se do coração carente. Rsrs. Lindo poema amigo Daniel.

Abraços,

Furtado.

Graça Pires disse...

O poema chegou mansamente, mas o seu canto é um grito profundo...
Abraço.

Anne Lieri disse...

Que linda essa poesia e a Severa está divina nessa foto! bjs e boa quarta!

Roselia Bezerra disse...

Olá, Daniel
O amor nos alcança...
Abraços fraterno de paz e bem