A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

POEMA ENCONTRO COM A LOUCURA




ENCONTRO COM A LOUCURA  
  
Olhei de viés a floricultura
Me deparei com a flor
Encontro com a loucura,
Modo de não sentir dor,
Seria ternura?
Imagina Senhor!
A loucura, num tapete de verdura!
Seguia no meu corredor
A senti bem manifesta na altura
Andando para lá, para um arredor,
 Voltando para cá, idêntica secura
Outro personagem, o mesmo fio de desamor
Encontro com a loucura!
Olhei, um arbusto, o mundo em flor!
Imaginei a doçura,
Que deveria ser do mundo ardor,
O modo de minorar tanta loucura,
Deus do céu; Senhor!
Vem cá abaixo exigir brandura,
Que se acabem as causas deste horror!
Encontro com a Loucura! 

Daniel Costa


 

13 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Até numa flor podemos nos deparar com a loucura.
Amei.
Beijos,
Renata

Mariazita disse...

Meu querido Daniel
Um pouco de loucura é necessária à vida. Sem ela... a vida seria muito monótona :)))
A tua loucura está bem expressa neste lindo poema.
Gostei!

Bom fim de semana.
Beijinhos

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Muitas vezes um pouco de loucura nos faz bem,principalmente se for para observarmos uma linda flor.
Lindo poema amigo Daniel.
Obrigada pelas visitas e um ótimo final de semana.
Carmen Lúcia.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amigo! Eis que mais uma vez, aqui me faço presente para me deliciar com a leitura de um lindo poema.

Abraços e um ótimo final de semana para ti e para os teus.

Furtado.

Dorli disse...

Nossa!
Eu faço várias postagens e guardo e hoje eu ia colocar: Minha loucura. Coincidência?
Um elogio vindo de você conseguiu levantar meu astral que estava meio saudoso dos meus pais.
Obrigada pelo carinho.
O dia que puder leia minha postagem: Meu pai, meu amigo,minha saudade; está nas mais lidas.( em cima, ao lado esquerdo)
Beijos
Lua Singular

Marta Vinhais disse...

Devemos cometer pequenas loucuras para saborear as memórias e enfrentar os momentos mais complicados...
Beijos e abraços
Marta

Anne Lieri disse...

Que bela inspiração,Daniel! Muito linda poesia! bjs e bom final de semana,

Magia da Inês disse...

✿⊱•°
Loucura nesse mundo insano... mas Deus também o encheio de mimos... como esses hibiscos... para que tenhamos esperança e não desistamos do mundo.
Bom fim de semana!
Beijinhos.
¸.✿⊱╮╮

Dorli disse...

Oi Daniel
Para uma boa entendedora uma palavra basta. Gostaria que lesse os 3 capítulos de um conto que fiz há tempos:
É só clicar no Google: Vidas em pedaços- Lua Singular, depois que ler os três capítulos que são curtos você me da sua nota.
Obrigada pelo carinho.
Não estou bem tomando 10 comprimidos por dia.( uma pequena cirurgia que infecciou)
Beijos
Lua Singular

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Daniel! Passando para agradecer a tua visita e amável comentário, bem como desejar uma ótima semana para ti e para os teus.

Abraços,

Furtado.

PS: Fico feliz por declarares gostar do meu trabalho. Obrigado de coração.

Lucinha disse...

Daniel,

Lindas flores nessa imagem.
Muita loucura podemos encontrar nas flores. Afinal, elas nos despertam o romantismo, o amor.
Lindo poema.
Uma linda semana! Abraços.

Marilene Domingues disse...

Bom dia amigo Daniel,
Perder-se de vez em quando, fazer alguma loucura, envolta em lindas flores...Amei esse seu lindo poetar. Parabéns!
Amigo se você quiser que eu faça cards para colocar em sua página de Literatura lá no face é só me pedir que eu faço com grande prazer...
Deixo meu carinho e um abraço apertado...Boa semana pra você.
Marilene
http://marilene-folhasfloresesutilezas.blogspot.com.br/

Tais Luso disse...

Enfim encontrei o poema da Loucura!
Daniel, em qualquer circunstância quero que as loucuras da vida de cada um permaneçam bem longe! É raro, pois somos humanos e de louco todos temos um pouco, mas é algo sofrível quando deparamos com as loucuras quando passam um pouco dos limites. O bom, o agradável é uma cabeça sã.O maravilhoso é olhar para as flores e sentir a pureza e a beleza.
Gostei do poema, mas interpretei da maneira que senti, que penso o que seja a loucura verdadeira.
Beijo!