A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

domingo, 10 de janeiro de 2010

Poema


O pai Zé de boné

Corrida de burros em Ferrel em 2007, a cerca de 90 km de Lisboa

 Turimo rural, passeio de burro na serra dos Candieros, 120 km (?) de Lisboa


A BURRA DO PAI ZÉ


Burros às filas e a garnel
Havia no concelho de Peniche
Na estrada do Baleal, que vai de Ferrel
Viam-se por toda a direita em fila a caminhar
Quando os burros desempenhavam um papel
Foi ontem, fica o meu testemunho visual
Recordar o ontem no lugar de Ferrel
Em corridas de burros a comemorar
Onde se busca o asinino fiel?
Em Espanha, meus deuses
Mais o pai Zé e seu irmão, o tio Abel
Se até em Ferrel, a partir da adolescência
Quem não detivesse burro
Era rico, ou de homem uma excrescência
Passei e passo muito a Ferrel
Dessas máquinas, que não gastam óleo
Estamos noutro século, sorriam vá lá!
O pai Zé deixou uma no seu espólio
Dizia o pai, burra como esta não há
Saio a cavalo, ela adivinha o que visitar
Sem querelas traz-me para cá
A minha filhota, sua neta
Como pequena petiza displicente
A brincar passou-lhe debaixo
Dono à vista e a burra quieta, obediente
Ficou quieta não se mexeu
Ah!... Pai Zé, como exultaste contente
Já pouco contaste o episódio
Porém, a burra valorizaste efectivamente

Alguém a pagou bem como animal
Muito bom, útil e reverente

Daniel Costa


14 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO DANIEL... DESCULPA MAS QUANDO COMECEI A LER FARTEI-ME DE RIR... UMA VEZ PASSEI LÁ E VI ALGO PARECIDO OU IGUAL... ADOREI RELEMBRAR-ME...!
ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

missosso disse...

Daniel, que maravilha de poema, se vc me permite, tresanda a aldeia, a Portugal. Castiço como o quê, pá. Parabéns!

Whispers disse...

Querido Daniel.
Eu adoro cavalos, para mim São um bicho inteligente.a elegância deles, a maneira do andar...gosto deles.
Burros, bem, para começar não os acho muito atraente, mas para burra basta eu.
Mesmo que seja um poemas de burros, teve seu encanto na poesia.
Mil beijo e boa semana que já se avizinha
Rachel

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Salve!
Ao seu e.terno Bom Humor*
*a burra valorizaste efectivamente
Alguém a pagou bem como animal
Muito bom, útil e reverente*
Obrigada por existir, queridíssimo*
Beijos

Ana Martins disse...

Lindas recordações neste bonito e alegre poema!

Beijinhos,
Ana Martins

Everson Russo disse...

Meu amigo, é sempre bom começar uma semana assim, de bom humor, trazendo alegria e paz...abraços e uma bela semana.

Bandys disse...

Daniel,

Adorei.
As fotos saõ muitos legais.

Beijos e um inicio de semana com muito humor e paz pra voce.

LOURO disse...

Olá Daniel!

Lindas fotos,e um belo poema da burra...Gostei!!!
Obrigado pela visita...
Abraço
Lourenço

FOTOS-SUSY disse...

OLA DANIEL, LINDO POEMA...AS FOTOS ESTAO BELISSIMAS...E SEMPRE BOM COMECAR A SEMANA DE BOM HUMOR...VOTOS DE UMA EXCELENTE SEMANA AMIGO!!!
BEIJOS COM AMIZADE,


SUSY

Maria Soledade disse...

Olá Daniel, fartei-me de rir com o poema da burra. Achei muito engraçado o poema e obediente a burra. Olha eu conheço muito bem Peniche porque passei lá muitas vezes férias, pertinho da praia do Baleal e adorei!

Olha que hoje dava bem jeitinho andar de burro ou burra, tanto faz, ao preço a que está a gasolina!!!!


Beijinhos Grandees

MUUUUAAAAAAAAHHHHHH***************

Val Du disse...

Oi, Daniel.
Belas recordações, belo poema.

Beijos.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Tenha um Lindo Dia, Daniel*
Beijos,

Everson Russo disse...

Bom dia meu amigo, que sua terça feira seja de muita inspiração e muita paz na alma...abraços.

xistosa - (josé torres) disse...

Dizem que são teimosos (mas só em parelha), penso que nem se conseguem emparelhar.
Andei muitos quilómetros num, quase preto.
O pobre coitado só descansava quando alombava comigo (era eu miúdo).
De resto andava ás voltas a mover uma nora (para tirar água dum enorme poço).
Merece esta singela homenagem.
Sabe que os burros brancos estão em extinção?
Um casal deles foi a oferta de casamento do príncipe Filipe de Espanha à Letizia.

Um abração.