A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

sábado, 5 de junho de 2010

POEMA CIMATECA DA MEMÓRIA




CINEMATECA DA MEMÓRIA



Como um prontuário retenho tudo como glória
O meu pensamento é como um repositório
Cada momento ficou retido num recanto da memória
Vida bastante vivida se alonga, é como numa cinemateca
Ainda que seja sofrida retém a minha história
A vida é feita de momentos, que um optimista guarda como bons
Como a partida para momentos de efémera glória
Como partidas para momentos bem vividos
No fundo é na aventura que se fundamenta a minha história
Aconteceram-me momentos um pouco cinzentos
Momentos dolosos, que ficaram como vida ilusória
Momentos vividos, que não são esquecidos
Não servem, porém para escrever a minha história
Fizeram parte da vida sim!
Nunca tornaram a vida inglória
Recordo essa diva, vivi-a talvez com lirismo
Nunca dispus de tempo para estar triste
Estarei a viver num mundo bonito, esqueço qualquer abismo
Não creio viver um milagre
Mais que ninguém, deuses meus, nada de eufemismo
Apenas poderei acreditar no milagre do querer
Na capacidade de sofrimento
Do irreprimível desejo de sempre amar a vida e viver
Amar a vida em cada momento
Ir guardando na cinemateca da memória
O acumular mais beleza é da minha própria natureza
Acumular mais belos episódios na minha história

Daniel Costa


13 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo poema, querido!
Parabéns, amei!

Reter tudo na memória *no fundo é na aventura que se fundamenta a minha história*
No fundo, acho que somos um tanto semelhantes, dadas as devidas proporções*

*No fundo, as relações entre mim e ti cabem na palma da mão: onde o teu corpo se esconde e de onde, quando sopro por entre os dedos, foge como fumo um pequeno pássaro, ou um simples segredo que guardávamos para a noite.

Nuno Júdice, em "O Movimento do Mundo"*

Beijos, Daniel*
Bom Dia!

raimunda disse...

boa tarde querido Dani, como sempre encantando com seus poemas. Você continua sendo o "cara" beijos, rai.

Sandra Botelho disse...

Eita poeta arretado de bom...
LIndo seu poema amiga.
Bjos achocolatados

angela disse...

Que lindo poema de amor a vida.
beijos

Fátima disse...

Belo poema! E a esperança prossegue.

Estou visitando novos blogs, foi muito agradavel encontrar o seu.

Beijos

lita duarte disse...

Daniel,

Caminhos e histórias.

Belo poema.

Beijos.

lita duarte disse...

Daniel,

Bom domingo.

Beijos.

Elaine Barnes disse...

Maravilhoso. Um poema de fé. Bonita a parte de não ter tempo para tristezas...A vida ,esse milagre,cobre de bençãos quem sabe vivê-la. Montão de bjs e abraços

Pérola disse...

Bom dia meu querido.
É isso tudo e um pouco mais,adorei o seu texto,és muito sensível meu querido.
Saudades de ti.
Um beijo na buchecha rs.

Everson Russo disse...

Temos que ir absorvendo a vida e fazendo nossa memoria sempre,,,,abraços fraternos meu amigo de boa semana.

Everson Russo disse...

Uma belissima semana pra ti amigo,,,com meu fraterno abraço.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Bom Dia, Daniel querido*


*a primeira estrela apontou pro viajante
qual é o caminho que leva à beira do mar
Ensinar a todos que pedissem seu caminho sem cobrar
Mas três condições ele teria que cumprir para chegar
E o viajante quando chegou até o mar quis pegar a estrela
a quem resolvera amar
E a primeira estrela que amava o viajante jogou sua imagem
na água sem pensar
E o que conta a lenda é que justo nesse instante nasceu a primeira estrela do mar*

Beijos*
I love you*******

Desnuda disse...

Querido amigo,

um poema fantástico pela lógica que a sua sensibilidade e sabedoria sabem direcionar.


Carinhoso beijo.