terça-feira, 6 de julho de 2010

POEMA FASCINAÇÃO II



FASCINAÇÃO II

Sempre me fascinou o Sertão
Sempre a sonhar
Vou espreitando o Baião
No nordeste há esse verdadeiro folclore
A verdadeira canção
A perpetuar a natureza
É na Bahia, no encantado Sertão
Houve por cá cantadores
Que homenagearam o Baião
Cantaram assim:
“Fizeram tanto Baião
Veio Baião depois
Baião Copacabana, Baião Cazurra
Baião de Dois”
Embora preenchesse o musical espaço
Só haveria sentido no de Dois
Que existe naquele nordestino regaço
Como é interessante o folclore do nordeste
Passar na capital Salvador sonhar com o espaço
Do espaço da Bahia que terá sido agreste
Um tipo de fascinação que tenho pelo mundo
Está bastante naquele nordeste
No grande sertão
Onde o folclore
Trará as gentes em comunhão
Há um não sei explicar o porquê
Virá da admiração pela cidade de Natal
Pela sua orla marítima ou de todo o norte
Vem à imaginação o Maranhão
Anoto grande apreço pelo Brasil
Porém o nordeste se tornou fascinação

Daniel Costa


16 comentários:

Everson Russo disse...

O sertão de grandes historias e herois,,,realmente é fascinante,,,toda a dor e sofrimento do povo,,,, toda luta de uma sobrevivencia,,,,um belo poema meu amigo,,,otimo dia pra ti e um forte e fraterno abraço...

p.s.uma pergunta,,,voce está tendo problemas com seus comentarios,,,??? eu recebo a notificação por email,,,leio, mas eles nao aparecem no blog,,,assim como o seu de varios outros amigos,,,,

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo Poema, meu querido! Parabéns!
Beijos pra vc*

Creio que ele se aproveitou de uma migração de pássaros selvagens para fugir. Na manhã da viagem, pôs o planeta em ordem. E quando regou pela última vez a flor, e se preparava para colocá-la sob a redoma, percebeu que tinha vontade de chorar.

- Adeus - disse ele à flor. Mas a flor não respondeu.
- Adeus - repetiu ele.
A flor tossiu. Mas não era por causa do resfriado.
- Eu fui uma tola - disse finalmente. - Peço-te perdão. Procura ser feliz.

A ausência de censuras o surpreendeu. Ficou parado, completamente sem jeito, com a redoma nas mãos. Não podia compreender essa delicadeza.

- É claro que eu te amo - disse-lhe a flor. - Foi minha culpa não perceberes isto. Mas não tem importância. Foste tão tolo quanto eu. Tenta ser feliz... Larga esta redoma, não preciso mais dela.
- Mas o vento...
- Não estou tão resfriada assim... O ar fresco da noite me fará bem. Eu sou uma flor
- Mas os bichos...
- É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas. Dizem que são tão belas! Do contrário, quem virá visitar-me? Tu estarás longe... Quanto aos bichos grandes, não tenho medo deles. Eu tenho minhas garras.

E ela mostrava ingenuamente seus quatro espinhos. Em seguida acrescentou:
- Não demores assim, que é exasperante. Tu decidiste partir. Então vai!
Pois ela não queria que ele a visse chorar. Era uma flor muito orgulhosa...

trecho de "O Pequeno Príncipe" de Antoine de Saint-Exupéry.

Tenha um lindo dia*

Amigos Sao eternos disse...

Muito belo poema o sertão Nordestino muito sofrido seu povo quando não é agua é fogo a aquecer e nossas plantinhas a levar. Como natalense agradeço.

SAM disse...

Daniel,

lindissimo poema homenagem ao nordeste ( berço da colonização portuguesa no país) com as suas peculiaridades e características ricas em folclore e em todas as artes apresentando um Brasil de gente bravia, lutadora e que apresenta tristes contrastes sócio-econômicos.


Carinhoso beijo, Daniel.

Marilu disse...

Meu querido amigo Daniel, realmente o Nordeste brasileiro, é fascinante, um povo festeiro, cheio de costumes e seu folclóre é riquíssimo. Inclusive Baião de Dois, é um prato típico. Mas também é uma região muito castigada pela seca, o sertanejo tem uma vida muito sacrificada. Tenho um poema que fiz da criança do sertão...vou mandar para você. Beijocas

Felina Mulher disse...

Muito bem, Daniel. Uma poesia de qualidade para a literatura.

Deixo-te meu beeijo carinhoso.

angela disse...

Tenho certeza que ira adorar o sertão. Programe-se para visita-lo. Vale a pena.
Lindo poema.
beijos

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Linda fascinação, sempre me fascino vindo aqui.
Beijos querido*

Agradecimento à galera*

O Dalai Lama completa 75 anos hoje.
e homegeio, agradecendo a todos os amigos*
Muito obrigada*





Eu, que fui bem educada, aprendi a dizer obrigada logo que comecei a falar...
Mas levei anos pra entender que não é só uma questão de educação...
É necessidade...
É filosofia de vida.
Agradecer é um dos atos mais felizes que alguém pode praticar.
Mas nem todo mundo sabe a importância da gratidão.
No meu entender, a gratidão deve vir antes do pedido.
Antes do prêmio.
Antes da conquista.
Dizer obrigado assim que a gente abre os olhos de manhã, é confiar no bem que está pra acontecer.
Parece complicado, mas é simples.
Quando a gente se acostuma a agradecer, percebe que as coisas fluem com mais confiança. Mais certeza...
E o medo vai embora.
Dizer obrigado antes de desejar, é acreditar na realização.
Dizer obrigado em vez de lamentar, diminui as perdas.
Dizer obrigado nos coloca numa condição gostosa de viver nesse mundo.
Quer coisa mais legal do que agradecer por estarmos vivos?
Experimenta só dizer obrigado por tudo o que você tem...
E pelo que nem tem ainda...
Você não faz idéia da energia positiva que essa simples palavrinha é capaz de atrair.
Depois você me conta...
Eu, que já sou grata pela chance de falar dessas coisas que me fazem um bem enorme...
Fico mais grata ainda por ter você aí, me ouvindo com tanto carinho.

Lena Gino

Beijos
Tenha um lindo Dia Rê*

Everson Russo disse...

Bom dia meu amigo,,,depois de um dia louco ontem,,,onde os comentarios sumiam,,,mas fique tranquilo, vi um comentario seu,,,não é culpa sua,,,o blogger, nosso administrador é que ficou doido,,,muitos amigos perderam comentarios,,,,eu perdi alguns tambem,,,é sem explicação isso,,,hoje,,,me parece que tá voltando ao normal...vamos aguardar....abraços fraternos de bom dia pra ti.

Lúcia Leme disse...

Que lindooooo!

Bjus

Everson Russo disse...

Bom dia meu amigo,,,,pois é,,,acabou dando na filal um jogo menos provavel....mas vamos ver no que dá,,,achei ontem que a Alemanha passaria,,,não passou,,,,agora tenho mais simpatia pela Holanda,,,nem sei porque....rs..rs...abraços fraternos de otimo dia pra ti amigo,,,,paz sempre.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Bom Dia, querido!
Estou de volta e já pra volto pra casa!
Beijos
Renata
Já publiquei

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Te amo
De improviso és tão diferente
Como és estranha esta noite
Raciocinas como se eu não fosse
aquilo que sou.
De acordo mas o amor é um sentimento
Dimensão ele não tem.
Primeira flor tu és
Que doce encanto
Preciso de ti
Não és sincero
Sem ti morreria
Te amo
Te amo.
E nós dois para sempre
Nasce o nosso dia
E nós dois para sempre
Basta estarmos escondidos aqui.
Sonhos juntos
Hoje como antes
Como o primeiro dia
E nós dois para sempre.
Desde quando me mudaste por dentro
Nos teus pensamentos caminho
Uma idéia levo comigo
Aquilo que és
Por quanto restarás ao meu lado
A resposta não a sei.
Primeira flor tu és
Que doce encanto
Preciso de ti
Não és sincero
Sem ti morreria
Te amo
Te amo.
E nós dois para sempre
Nasce o nosso dia
E nós dois para sempre
Basta estar escondidos aqui.
Sonhos juntos
Hoje como antes
Como o primeiro dia
E nós dois para sempre.
Sonhos juntos
Hoje como antes
Como o primeiro dia
E nós dois para sempre!

Eis a letra do vídeo do sétima, traduzida por euzinha e revisada.
Obrigada! Até amanhã
Beijos

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Bom Dia, querido*
Um grande beijo*

*Um poema



Não pertence ao Tempo...



Em seu país estranho.



Se existe hora é sempre a hora extrema.



Quando o Anjo Azrael nos estende ao sedento



Lábio o cálice inextinguível.



O que tu fazes hoje é o mesmo poema.



Que fizeste em menino.



E o mesmo que,



Depois, que tu te fores



Alguém lerá baixinho e comovidamente,



A vivê-lo de novo.



A esse alguém



Que talvez nem tenha ainda nascido,



Dedica pois, teus poemas,



Não os dates porém



As almas não entendem isso!...

Nunca dates os teus poemas*
Mario Quintana

Renata, cheia de penas*

Mariazita disse...

Olá, Daniel
Eu adoro música sertaneja. O meu cantor preferido é Almir Sater. E gosto igualmente de tudo que se relacione com o sertão - paisagens, gentes, tudo!
O teu poema fala de tudo que eu gosto. Portanto... gostei muito do poema.

Bom fim de semana. Beijinhos

Everson Russo disse...

Abraços fraternos pra ti meu amigo,,,pra desejar um belo final de semana.