A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

quinta-feira, 29 de julho de 2010

POEMA CARQUEJA


CARQUEJA

Carqueja é nome de terra
Devido a um Serial Killer
Anda actualmente na berra
Nos anos cinquenta que a conheci
Miúdo, sempre por caminhos areentos
Entre pinhais e a corta mato várias vezes a vi
Aldeia do concelho da Lourinhã
Antes a mais isolada
Ficava muito chã
Não havia estrada
Havia algumas mulheres bonitas
Sempre a trabalhar na dureza do campo
Ali ganham cores rosadas e catitas
Do Serial Killer sabe-se onde morava e fazia covil
Sabe-se o nome das vítimas
Para os investigadores não é gentil
É evidente, sabia o que fazia
Dos despojos nada diz, o vil
Não tem o julgamento popular
Que na década de cinquenta, era uma razia
Era uma atracção da feira semanal da vila
As noticias de crimes que no pais havia
Eram entoados ao som de acordeão, como um perpetuado
Na vizinha freguesia da Moita do Ferreiros
Por um amante que matou o marido da pretendida mulher, o danado
O chamado folheto rezava assim:
“Ele pela amante foi levado
Mas antes de fazer o delito
Devia te pensado”
Outros tempos!,,,
A passar a corta mato pela Carqueja
Ia comprar pedras de cal branca ou cal almagra para eventos
Recordo o passar e mirar, a velhíssima árvore que me extasiava
Para caiar a casa nos sazonais tempos
Recordo os fornos de cozer a pedra calcária
Foram tempos simples, recordo-os como portentos
S. Bartolomeu
Actualmente com acréscimo dos Galegos
Pela aldeia da Carqueja que ficou na memória passei eu


UM MUITO OBRIGADO À RENATA, UMA GRANDE AMIGA DESDE A PRIMEIRA HORA DO MILAGRE, CRIADO EM JANEIRO DE 2008.

Daniel Costa

12 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Belo poema! Relembra a Carqueja, o serial-killer, a dureza do trabalho, os noticiários dos crimes, das vítimas.

"Recordo os fornos de cozer a pedra calcáriaForam tempos simples, recordo-os como portentosS".
O Homem passou e o Poeta brilhante e amorosamente no conta tudo, sem um final que fique, por um bom tempo soando nos ouvidos, e que acaba, sem que as pessoas se apercebam, enchendo a cabeça de ondas sonoras que perpetuam uma idéia, a príncípio boa, mas que peca, justamente, por uma petição de princípio. É preciso ler do começo ao fim. Premissa, dissertação, conclusão ou impressão de uma ideologia, a meu viver, um novo revisto de barbárie. Pronto, falei! Que alguém leia*


*Com meu salto
nunca pisei em uma semente,
todas que encontrei no meu caminho
plantei em meu jardim com a
essência do amor.

Preciso que elas ao germinarem
consigam trazer ao meu coração
o sonho que tanto busco...

Brotos de liberdade,
botões de afeto,
pétalas de cumplicidade,
floração molhada pelo
meu regador de sonhos.

Sem egoísmo colherei cada uma delas
e soltarei pelo mundo...
Para que com sua essência
ao receberes consigas também
o teu sonho realizar.

(não sei de quem é; recolhi e dei uma burilada)*

Parabéns! Tenha um Lindo Dia!
Beijos
Renata

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
Um belo poema, feito de histórias reais, muito bem escrito, adorei.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Marilu disse...

Querido amigo, crimes horrendos estão sempre a acontecer, basta pegar um jornal do Brasil e você verá o que é a maldade humana..Carqueja aqui é uma folhagem que se faz chá para o figado. Beijocas

Felina Mulher disse...

Boa tarde meu anjo daniel.

Voltando de férias e tentando colocar o trabalho e as visitas em dia...aos poucos vou conseguindo.
Voltarei para ler-te com mais calma.

Um beijo no teu coração.

SAM disse...

Daniel,

mais um belo poema que faz da sua vida uma bela existência e um homem experiente nas reflexões da vida.


Beijos, querido amigo.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Meu querido! Venho dar-lhe Boa Noite e vejo este selo aí é? Ô meu amigo!
Beijos Mil*********

Ps: Te amo, Anjo*******
Ah, publiquei no Poesia (do jeito que deu)
Até +++++

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, Anjo querido!
Cá estou*
Beijos*********

E o ninho tem um ovo.
E o ovo, redondinho,
Tem lá dentro um passarinho
Novo.

Mas escusam de me atentar:
Nem o tiro, nem o ensino.
Quero ser um bom menino
E guardar
Este segredo comigo.
E ter depois um amigo
Que faça o pino
A voar...

Miguel Torga

Tenha um Lindo Dia*

Re. publicado est no eu e daí e douzenkroez.

Everson Russo disse...

Belissimo poema amigo,,,sempre a relembrar hirtorias vividas,,,passos da vida,,,,um belissimo final de semana pra ti com muita paz e poesia na alma,,,e parabens a nossa amiga querida a Renata pela conquista....

Bandys disse...

Daniel,
Crimes tem em todo lugar.
*******************************

Palavras alma do poeta
são elas que expressam amor
magia e os sentimentos
mais diversos.
Na modernidade da
comunicação são
substituídas por desenhos
singelos que nos tocam o coração
mas mesmo assim a saudade
das palavras fala mais alto.
Palavras, palavras,
nos fortalece, nos ensina
a ver e sentir a alma
do poeta!

Beijos

Pensador disse...

Carqueja, por aqui, é planta que dá um chá bom para os rins.
Tem gente que usa para tentar emagrecer, por conta do efeito diurético...
Abraços!

Whispers disse...

Querido Daniel.
Uma historia real em palavras de poesia.
Gostei de conhecer a historia,me encanta conhecer o outro mundo além do meu.

Desejo que tenhas um bom final de semana
Mil beijos
Rachel

Everson Russo disse...

Abraços fraternos de otimo sabado pra ti amigo,,,paz e poesia sempre.