A MINHA POESIA - A MINHA VIDA

domingo, 4 de julho de 2010

POEMA O VELHO CACILHEIRO



O VELHO CACILHEIRO

Conhecer os velhos bairros Lisboa
É poético, verdadeira poesia
Ainda que percorridos à toa
Ligar as duas margens do seu rio,
Do velho Tejo também é coisa boa
Sendo a bordo dum velho cacilheiro
Sentir sons em uníssono tão bem soa
Ter outra visão da cidade por inteiro
Navegar no refulgente Tejo
É como ter um sonho verdadeiro
Atracar no cais de Cacilhas
Donde adveio o baptismo de cacilheiro
Agora mais moderno, o catamarã
Sempre com aquele nome, o primeiro
Embora com duas imponentes pontes
Outros destinos, outro timoneiro
Mais barcos de transporte no Tejo
O mesmo tipo de passageiro
O que vem diariamente para a cidade
Trabalhar, para viver, ganhar dinheiro
Nem lhe ocorrerá sonhar
No hábito daquele balouçar verdadeiro
Muitos barcos podem ser vistos
Viajando e mirando dum cacilheiro
Por ali passa todo o mundo
Um mundo verdadeiro
Tudo a tornar a bela Lisboa
Como se fora um mundo inteiro
No seu incessante vai e vem
O velho cacilheiro

Daniel Costa

17 comentários:

lita duarte disse...

Quanta beleza!

Bom domingo.

Beijos.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, querido! Que lindo poema! Que bom partilhá-lo conosco!
Beijos, Daniel!

*Quem



Não sei como se ressuscita


no terceiro dia


de cada sílaba


nem se há palavras para voltar


do grande rio do esquecimento.


Não sei se no terceiro dia


alguém me espera. Ou se


ninguém.


Em cada poema levanto a pedra


em cada poema pergunto quem.



Manuel Alegre*

Tenha um lindo Domingo!

Lúcia Leme disse...

Lindo poema, Daniel.


Bjus

Desnuda disse...

Querido Daniel,

quanta beleza em versos e fotos! Obrigada, amigo.

Carinhoso beijo.

Everson Russo disse...

Belissimo meu amigo,,,seu poema foi uma viajem a LIsboa,,,,daqui eu fico imaginando as cenas,,,abraços fraternos de otimo domingo e uma excelente semana de paz.

Sonhadora disse...

Meu amigo
Belas fotos e um lindo poema.

Beijinhos
Sonhadora

angela disse...

Lindo poema para uma linda cidade e seu rio.
beijos

Sandra Botelho disse...

Que belo poema amigo.
Sempre tive vontade de conhecer portugal.
mas ainda não pude.Nem sei se poderei, por isso agradeço quando postas fotos deste lindo pais.
Assim posso conhece-lo sem sair daqui.
Bjos cheios de gratidão.

Pérola disse...

Belo lugar amado,um sonho para ser mais exata e com poesia então...fascinante.
Parabéns meu querido.
Saudades de ti.
Beijokas milllllllllllll

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, Daniel, querido!
Espero que estejas bem. Não estava tão bem assim, mas agora melhorei.
Beijos!!!

“Deves ter a cabeça sempre fria, o coração sempre quente e a mão sempre larga.”


“Deixa o caráter ser formado pela poesia, fixado pelas leis do bom comportamento, e aperfeiçoado pela música.”


"Nunca faças aposta. Se sabes que vais ganhar és um patife, e se não sabes és um tolo."


“Até que o sol brilhe, acendamos uma vela na escuridão”.


“Onde há justiça não há pobreza.”


“Pagai o bem com o bem e o mal com a justiça."


“Algum dinheiro evita preocupações; muito, as atrai”.


"Conte-me, e eu vou esquecer. Mostre-me, e eu vou lembrar. Envolva-me, e eu vou entender "


“Quando nasceste, ao teu redor todos riam, só tu choravas. Vive de tal modo que, à hora de tua morte, todos chorem, só tu rias”.


“Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinhos.Outras há que gargalham de alegria por saber que os espinhos temorosas”.


“A ignorância é a noite da mente, mas uma noite sem lua nem estrelas”.


“Exige muito de ti e espera pouco dos outros.”

Confúcio

Tenhas um Lindo Dia*
Há novidades no Eu e daì e na Galeria, passe lá, te espero*
I love U*

Everson Russo disse...

Meu querido amigo,,,deixo te abraços fraternos e o desejo que tenhas uma semana de muita paz e muita poesia....

Vanuza Pantaleão disse...

Amigo e Poeta Daniel,

Navegar nos teus versos é como estar no próprio Tejo a navegar e a sentir o afago da nossa bela Lisboa.

Obrigada pelo carinho de sua visita!!!Bjssss

Pérola disse...

Beijos meu amado amigo.

Bandys disse...

Lindo Daniel.
Pra mim é que nem viajar pelos teus poemas. Sempre tão belos.

Beijos

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Já te disse que te amo hoje, Daniel?
Eu te amo, querido!
Beijos!

*Na ilha por vezes habitada do que somos,

há noites, manhãs e madrugadas

em que não precisamos de morrer.

Então sabemos tudo do que foi e será.

O mundo aparece explicado definitivamente

e entra em nós uma grande serenidade,

e dizem-se as palavras que a significam.

Levantamos um punhado de terra

e apertamo-la nas mãos. Com doçura.

Aí se contém toda a verdade suportável:

o contorno, vontade e os limites.

Podemos então dizer que somos livres,

com a paz e o sorriso de quem se reconhece

e viajou à roda do mundo infatigável,

porque mordeu a alma até aos ossos dela.

Libertemos devagar a terra

onde acontecem milagres

como a água, a pedra e a raiz.

Cada um de nós é por enquanto a vida.

Isso nos baste*
Saramago

Tenha um Bom Dia!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Bom Dia, querido!

Tenho imagens que não estão nos olhos,

mas um pouco abaixo deles.

Que não estão na mente, mas um pouco abaixo dela.

E que também não estão no coração,

mas passeando como sangue, por todos os tecidos da pele ao mesmo
tempo.

Plasma e oxigênio.

Ar e sufoco.

Beijos*******
Pus um comentário aqui há pouco e não o vejo. O que acontece?

Whispers disse...

Querido Daniel,
E ler a tua poesia e ler a alma de um grande homem.
Mil beijos
Rachel