domingo, 8 de dezembro de 2013

POEMA AMOR NA PENUMBRA





AMOR NA PENUMBRA

Pouco se vislumbra
 Parecendo, espécie de apatia
Amor na penumbra
O amor existe, não como existia (?)
Expresso, não retumba!
Esteve e está à vista, desde o primeiro dia
Olé… Foi necessário jeito de dobra,
Em fase de esquizofrenia
Fazer uma equação em álgebra
Abracadabra, para a aberração da cobra,
Dissimulada e macumbeira simpatia!
Doentia e salobra,
Quem sabe se pratica a pederastia?
Se dessa fobia terá fibra?
Poderá ter até uma arritmia
Das sobras, teria ficado quebra?
Mesmo que apenas uma fatia
O suficiente para que encubra,
 Tirando partido do anonimato como garantia,
Da larga manobra,
Digo-vos eu… Macumba, fobia!
Amor na penumbra!
Dos sentidos fisioterapia
Não aos riscados tipo zebra
Antes que chegue nova obra de antipatia,
Amor na penumbra!

Daniel Costa



11 comentários:

Anónimo disse...

SOU DO BLOG FOLHAS DE OUTONO !!!!
Que bom me rever aqui por esse grande poeta.Poeta de muitos e escritor de todos!
E foi lendo mais um das tuas
artimanhas no mundo poético que me vejo na penumbra para explodir em luz por esses dias ...Já está pertinho da minha caminhada nesta penumbra ,que breve virará em brilho total ,pois uma grande luz está para abrir e iluminar ...
Como poeta vc me surpreende em cada novo poema criado.
E o vídeo de hoje valeu ouvir em um dia de domingo,rsrsrsrsr
Aiaiaaiaiaiaiaiaiaiiaaiiaiaaiai
VALEU !!!!!!!!!!!!!!
Abraço amigo !!!!!!!

Dorli disse...

Oi Daniel,
O amor quando é correspondido subimos entrelaçados às nuvens: mãos com mãos, sorrisos e belas metáforas dos dois apaixonados.
Quando se ama e não é amado a pessoa sonha, como por muitas vezes sonhou Roberto Carlos com seus trágicos amores.
Amar é um querer possível, gostoso, palavras meigas, olhos citando poesias. É tão fácil amar, mas é difícil ser correspondido na mesma proporção.
Eu nunca me entreguei ao amor totalmente, se o tivesse feito teria sofrido. Sou amada, mas amo com cuidado, sempre foi assim.
O amor não correspondido adoece e não há remédio que o cure.
Um beijo e obrigada por suas lindas palavras.
Beijos
Lua Singular

DADI SILVEIRA disse...

Lindo!!

Carla Fernanda disse...

Daniel inspirado!!
O amor é tudo e mais um pouco.

Beijos a você e à Severa!!

Felisberto Junior disse...

Olá!Boa noite,Daniel!
Na penumbra, um amor será sempre incompreendido, pois parece refletir e brilhar em outros tantos lugares que não o certo.
Agradeço pelas palavras em meu blog, belas e sábiamente !
Agradeço, obrigado, belo início de semana, abraços!

Vera Lúcia disse...


Olá Daniel,

Roberto Carlos foi uma escolha perfeita para embalar o poema.
Seus poemas surpreendem sempre pela criatividade das inspirações.

Feliz semana.

Abraço.

Joaninha Musical disse...

Muito linda a musica que acompanha este poema. Gostei da musica!! Desejo-te uma fantástica semana,muitos beijinhos e fica com deus!!

edumanes disse...

Lindo poema amor na penumbra
Mais uma belíssima obra do autor
Verdadeiro sem ilusão nenhuma
Aprimorado de Inolvidável valor.

Na verde planta uma flor
Perfumada permanecer
Sem ele triste se viver
Amor é sempre amor.

Boa noite para você
amigo Daniel Costa, um abraço
Eduardo.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
MARILENE disse...

O amor o inspirou durante todo o ano e o descreveu em várias facetas, todas belas. Na penumbra também se vê o que é sentido.
Daniel, desejo-lhe um Natal de muita luz e bênçãos. Bjs.

Nal Pontes disse...

Oi, Daniel, lindo seu cantinho cheio de encanto e poesias. bjsss