quinta-feira, 11 de março de 2010

Poema




PORQUE?

Não sei eu nem vocemessê
O mundo gira sem parar
Sem encontrar azimute, porquê?
Se nos referimos a incompetências
Da política é o que se vê!
Tantos amigos, tantos assessores
Paga sempre o povo
Que dizem ser soberano senhores
Antes de votar, promessas, aliciantes sim
Soberano só se for para desmandos e desamores
Imensos gestores de quê
Se as Ruas não têm trabalhadores
Legisladores para mostrar algum trabalho
Para quê, onde estão os fiscalizadores?
Mesmo que o poeta pareça incómodo
Deve reclamar dos governadores
Porque não cambiar seus salários
De magnificentes senhores
Pelo mínimo
Pelo mínimo de muitos trabalhadores
Pelos mínimos do que têm como elevados
Dos que afinal muito trabalharam
Para serem mal amados
Dizem-se governantes do povo
E o mundo gira, como velho moinho
Apenas mediocridade, nada de novo
Para fruir do suor do povoléu, do plebeu
Prescinde-se de provas
Basta o diploma, o cartão do partido seu
Eis o nosso mundo falido
Com a mediocridade de quem aufere do meu
Pelo menos reduzam o número dessa
Reflictam tenham siso, têm idade para não brincar
Digam verdades ganhem juízo

Daniel Costa
Fotos: Daniel Costa


18 comentários:

lita duarte disse...

Daniel,

O mundo é um caco, porque a humanidade é suja.

Mas ler teu poema me faz acalmar... não somos conformistas.

Beijos.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

É isso aí! Dá-lhe! Daniel que fala a verdade* Ainda bem que existem pessoas limpas como você, a Lita, eu, e todos os que freqüentam as suas lindas casas!
Tampouco eu me conformo. Porque se eu me conformar, eu me deformo. Prefiro me transformar.
Realmente, a Val Du, falou pouco e tudo, o seu poema lava a alma*******************************
Muito obrigada*
Lindo demais********************

Beijos*

******

*Eu queria que Deus me desse férias
Ao menos uma vez por semana
Que não se preocupasse comigo
Pois se esquecendo de mim
Ao menos uma vez por semana
Eu fico fora do seu olho grande
E posso ter por exemplo
Os meus sábados
Só para bobagens
Não contra Ele que jamais
Consentirei seja ofendido
Mas para eu fazer minhas tolices
Cá a meu modo
Ao menos uma vez por semana
Sem que ele precise saber ou tomar nota
Pois são tão fúteis
Tão bobas
Tão bobas mesmo
Que só de pensar que Deus toma nota
Perco até o gosto…

Aníbal Machado, A arte de viver e outras artes*

Chuva de confetes de chocolate em você, daqueles deliciosos que fazem bem mal, graças a Deus!

Aquele abraço + beijos
Até já,

Ana Martins disse...

Caro Daniel,
a verdade é só uma, anda meio mundo a roubar outro meio.

Muitas verdades num só poema!

Beijinhos,
Ana Martins

Bandys disse...

Daniel,

Viva um dia de cada vez.

Asd vezes fazemso hora extra aqui na terra.

Beijos

"Quando você olha pra ela e traça seu amor
Não há disfarce nesse seu olhar
Que incendeia o coração
Esse desejo te revelará
Em um simples gesto qual será sua intenção.
Quando voce olha ela deitada dormindo, ela só quer que voce entenda o sentimento verdadeiro
Não há segredos quando o amor aponta! Quando voce olha ela tomar banho voce enxerga seu olhar de encontro ao dela, ao destino, na alma! Quando voce escreve poemas pensando nela revela seus mistérios do coração.

Não há disfarce nesse seu olhar, nem nas notas do teu violão..
E esse desejo te revelará
Em um simples gesto qual será sua intenção.
Passar o resto da vida tendo ela como visão"

xistosa - (josé torres) disse...

E no meio deste lodaçal, há que amparar os pobres que são os que estão habituados a cumprir e contribuir.
É a classe mais amada dos políticos.

Um abração.

VANUZA PANTALEÃO disse...

Meu amigo,
És admirável até quando protestas e com toda razão.
Tô contigo, Daniel!!!
Beijinhosssss

Elaine Barnes disse...

Muito bom protesto. Tenho nojo de politicagem. Montão de bjs e abraços

Everson Russo disse...

Meu querido ammigo,,,levantaste bem os porques da vida,,,da humanidade,,,,eu acredito que muito dessas diferenças,,,,dessas miserias da vida, partam da propria ganancia humana,,,,agora não sabemos o real porque do homem ser assim com o proprio homem,,,,abraços fraternos de carinho e um belissimo final de semana.

poetaeusou . . . disse...

*
junto á tua
a minha voz . . .
,
um abraço, deix,
,
*

leda disse...

Querido amigo;
Conseguiste traduzir em poema a nossa triste realidade,em nosso pais os politicos se tornam cada vez mais ricos, enquanto a população trabaladora cada vez mais pobre,é uma dura realidade.
Um grande abraço!

Mariazita disse...

Olá, Daniel
Óptimo poema, forte, desassombrado!
Metes o dedinho na ferida, aliás nas (muitas) feridas de que sofre o nosso país, do qual nós, simples cidadãos contribuintes, somos representantes - mas representados por corruptos que só pensam em encher o saco!
Continua, amigo, que a mão (para os zurzir) nunca te doa!

Fiquei muito feliz com as tuas palavras acerca de Lisboa Café. Ainda bem que a minha opinião teve alguma utilidade.
E, se me for possível, terei o maior prazer em aceitar o teu convite.

Vou passar o fim de semana a Évora, mas deixarei agendado o post para domigo, para a "Casa".

Bom fim de semna.

Beijinhos
Mariazita

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

A Lenda da Torre dos Namorados

Conta-se que há muito tempo, no local que hoje é conhecido como o centro da Torre dos Namorados existia uma cidade muito povoada, onde abundava a prosperidade e a felicidade. A cidade era governada por um rei muito consciente dos seus deveres para com os súditos.
Era dotado de um sentido de justiça apuradíssimo e revelava uma moral inabalável e incorrupta. Muito estimado pela população, para este governante, a palavra tinha um valor insubstituível e, dizia-se na altura, "antes preferia morrer que vergar". Tinha o rei uma filha casadoira que fazia suspirar de paixão os mancebos da cidade com sua beleza sem igual. Ousadia para pedir ao rei a mão da princesa faltava a quase todos os jovens apaixonados. O seu perfil de monarca rígido e moralista fazia adivinhar que não teria escrúpulos em mandar para a forca quem se atrevesse a cometer a mais pequena indelicadeza ou ousasse falar-lhe sequer na mão da real filha.
Tempos passaram e a beleza da princesa cada vez era maior.
Cabelos de ouro e face que parecia irradiar a luz do sol caracterizavam a sua beleza única. Certa tarde de Primavera, dois jovens mais ousados e bêbados de paixão dirigem-se corajosamente ao palácio real para falarem com sua majestade a fim de obterem consentimento para casarem com a jovem princesa. O rei recebeu-os com dignidade respeitando os seus sentimentos de puro amor. Obviamente, a sua filha era única e apenas um podia ser o eleito.
Como monarca justo que era e, tendo a mesma consideração e estima pelo caráter e amor sincero dos seus dois jovens súditos, falou-lhes nos seguintes termos:
«- Meus caros jovens: não tenho qualquer dúvida que qualquer um de vós ama perdidamente a princesa e poderá vir a ser um excelente marido para a minha filha e um melhor pai para os meus netos e sucessores.
Contudo a minha filha, a quem venero com todo o meu coração, é única e vós sois dois pretendentes.
Se der a sua mão a um de vós estarei a ser injusto.
Entretanto a cidade está ficando com problemas de abastecimento de água à população que não pára de crescer.
Eis as tarefas que vos proponho: um de vós deve iniciar a construção de um aqueduto suficientemente eficaz e sofisticado que resolva os problemas de abastecimento de água à cidade. O outro deve empenhar-se na construção de uma torre tão sólida e funcional que este reino nada venha a recear em caso de ataque e cerco pelos nossos inimigos. Começai os trabalhos amanhã ao alvorecer.
O primeiro que acabe a tarefa que lhe destino terá a honra de casar com a minha filha. Agora ide e que ganhe o melhor!».
No dia em que terminaram, exatamente na mesma hora que um jovem colocava a bica na fonte principal de abastecimento da cidade que a partir daí não mais pararia de jorrar, o outro acabava de colocar a última peça de ouro no pináculo de uma espectacular e sólida torre capaz de defender a cidade dos maiores ataques inimigos.
Continuava por apurar o noivo da bela princesa.
O rei estava estupefato e a sua face ficou pálida de amargura.
Não poderia cumprir o prometido.
Fato grave e intolerável para o monarca.
É que ninguém como ele tomava à letra a sentença: "palavra de rei não volta atrás".
Foi então que, como um trovão, se ouviram as seguintes palavras doídas que saíram da boca do rei:
“- Torre feita, água à porta; filha de el-rei morta!”
A princesa logo percebeu que nunca seria rainha pois estava condenada à morte pela dureza da sentença de seu próprio pai, montou um cavalo e fugiu em direcção ao Sul.
De pouco lhe valeu. Rapidamente foi capturada pelos soldados do rei que aí mesmo, cumprindo ordens, a mataram.
O lugar onde teve lugar a matança da princesa ficou conhecido por isso mesmo:
Mata da Rainha.
Hoje é uma freguesia do concelho do Fundão.

Boa tarde, querido.

Felina Mulher disse...

parece que esta realidade não é so de teu País é do mundo....um mundo totalmente desumano,onde os corruptos comandam.
Há jeito?...achas?...ainda tento acreditar que sim!


Um beijo meu anjo...durmas bem!

SAM disse...

Daniel reforço a sua frase"Reflictam tenham siso, têm idade para não brincar Digam verdades ganhem juízo"

Os absurdos afrontam o bom senso dos cidadãos e os subestimam. Obrigada pelo poema que denuncia e clama dignidade dos governantes e a responsabilidade e consciência das suas funções, em nome do povo e para o povo.

Carinhoso beijo e lindo fim de semana.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

O seu poema é deveras tocante* Mas vc, Daniel, me toca muito mais. Porque simplesmente nos ama*
Beijos*****************

***

*Linda mulher, descendo a rua
Linda mulher, do tipo que eu quero conhecer
Linda mulher, eu não creio em você, você não é real
Ninguém poderia ser tão bela quanto você
Misericórdia!
Linda mulher, você não vai me perdoar?
Linda mulher, eu não poderia ajudar você, mas veja
Linda mulher,
Que você é admirável, como pode estar
Sozinha, assim como eu
Raooorrrr!
Linda mulher, espere um instante
Linda mulher, converse um instante
Linda mulher, dê-me seu sorriso
Linda mulher, yeah Yeah Yeah
Linda mulher, olhe meu jeito
Linda mulher, diga que você ficará comigo
Porque eu preciso de você, eu tratarei você bem
Venha comigo, bebê, seja minha esta noite
Linda mulher, não se afaste
Linda mulher, não me faça chorar
Linda mulher, não vá embora, está bem?
Se é desse jeito que tem de ser, está bem
Eu acho que irei para casa, já é tarde
Haverá um amanhã à noite, mas espere
O que eu vejo? É ela, voltando para mim!
Oh, oh, linda mulher.

LINDA MULHER
Roy Orbison

Trad. da Renata*

Bom Dia!
+ Beijos


PS: Ah, já passou o chilique*

Everson Russo disse...

Um forte e fraterno abraço a ti amigo e um belissimo sabado de paz.

Olhos de mel disse...

Querido amigo; cada qual que assume um cargo público, apenas visa seu próprio bolso, suas próprias necessidades. Esquecem completamente das promessas e do povo que lhe prestigiou com votos. Será que ainda existe algum diferente? Não consegui lembrar.
Bom fim de semana! Beijos

Felina Mulher disse...

Ei ficaria muito honrada....fique à vontade.Te mandei um email.


Beijos anjo querido....sábado de Paz pra ti.