sábado, 13 de fevereiro de 2010

Poema




Gabela
ARICANGA

Não é bairro de lata
Ali todo o mundo labuta
Trabalha na grande libata*
Aricanga aldeia grande e bela
Está na planície
Periférica da Cidade da Gabela
Onde aos Domingos ao cinema ia
Cinema para pretos era onde ia ela
Vinha do bairro Sousa aquela mulher
Uma mulher bela
Era o tempo da famosa “Copanera”
Com emoção dei a mão a ela
De mãos dadas vimos o filme a “Violetera”
Na Cidade de Gabela
No espaço a Rapariga das Violetas era
Que felicidade ter companhia tão bela
Não sendo xenófo ou fundamentalista
Via a perfeição nela
Que bonita mulher meu Deus!
No Amboim das planícies dos arimbos** de café
Cidade da Gabela vieram plebeus
Deixei aquela menina dos meus olhos
Vieram outros mundos
Outros mundos, outros escolhos
Acabou ali o derriço com a mulher bonita
A menina dos meus olhos

 

Daniel Costa

*Libata: fazenda de cafeeiros



** Arimbo: fazenda de cafeeiros




17 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Recordações!
Acabam-se mundos, vêm outros, outras meninas dos olhos.
Belo!
Adorei!!!

Pra vc, Daniel!


Quando for Amar********************

Ame o mais profundo
que puder...

Quando for falar,

Fale somente o necessário...

Quando for sorrir,

Procure sorrir com os olhos também...

Quando pensar em desistir,

Lembre-se da luta que foi
começar e não desista!

Quando quiser se declarar a alguém,

Faça isso sem medo do que essa pessoa
pensará de você...

Quando sonhar,

Sonhe bem alto,
bem longe...

Quando for partir,

Não diga "adeus". Diga que
tudo foi maravilhoso!

Quando abraçar um amigo,

Abrace com carinho e lembre
desse abraço por toda vida...

Quando precisar de ajuda,

Não se envergonhe de
pedir socorro...

Quando sentir raiva de alguém,

Ore e peça luz
para essa pessoa...

Quando tentar algo de
novo na vida,

Tente pra valer, mude-se,
arrisque-se, viva intensamente...

E quando precisar de um amigo,

Lembre-se de mim,

Estarei aqui torcendo por você, e
pela sua felicidade!

Desconheço o autor*

lá de um dos cantos

Bom dia para todos nós*************

Beijos******

Renata

Felina Mulher disse...

E muitos outros mundos ainda virão poeta....Bom final de semana.


Beijos___________Felina.

lita duarte disse...

Daniel,

Que coisa mais linda!

Beijos.

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO DANIEL, MARAVILHOSAS FOTOS E SOBERBO POEMA... LINDO... AMEI AMIGO... VOTOS DE BOM DOMINGO... ABRAÇOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

Angela Ladeiro disse...

Recordar é viver, não é assim? Pois eu continuo a não saber onde fica essa cidade! Mas que poema, amigo. Diferente de tudo!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Parabéns pelo livro, grande Amigo e Poeta Daniel!!
Um orgulho ser sua amiga!

*Festa de Luzes
Para o Daniel, e ainda é muito pouco.

Mil fogos te vão clarear
A multidão virá admirar
Teu longo vestido iluminado
Teus monumentos transformados
Pelas imagens do tempo passado
Tuas fontes animadas
Sons e luzes inebriadas
Farão bater teu coração enlaçado
Nos teus dois braços prateados*
Poema da Renata

Beijos*****************************

Mariazita disse...

Boa noite, Daniel
Que lindas recordações duns tempos que tiveram momentos difíceis, mas também outros de muita felicidade.
E tudo isso dito num lindo poema!
Parabéns. Gostei muito.

Amanhã a
A CASA DA MARIQUINHAS
completa os seus dois anos de vida.
Gostaria de contar com a tua presença sempre querida.

Uma noite feliz.

Beijinhos
Mariazita

angela disse...

Quanta saudade e doçura meu amigo.
beijo

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Bom Dia, querido Daniel!

Deixo-lhe o post de ontem, de que o amigo gostou + Beijos******************


*MARIA, VÊ!

Ó como a primavera madrugou!

Olha esses campos: como vem garrida!

- Maria, vê! Não sejas distraída...

Que belo sol e que feliz eu sou!



Tudo desperta em derredor: a vida

acorda, e traz um ar de quem sonhou...

- Mas tu não vês! Que pena, Amor! passou

uma andorinha, e lá se vai, perdida...



Sorris. E cismas... Que desdém o teu!

E eu fui chamar-te: - Vem! Que lindo céu!

É tudo vôo, e canto, e beijo, e graças... -



Que louco eu sou! Perdoa, Amor, não era

que tu viesses ver a primavera.

Ela é que fica a ver-te, quando passas!*
(não me lembro do nome do autor)

+ Beijosssssssssssss
Obrigada pelos comment lá no canto das minhas artes!
Renata

Ah! Já mudei o post!

Everson Russo disse...

Belissimo, alem de um grande poeta ainda me informou sobre as palavras que ainda não tinha ouvido, meu amigo, seu poema me remeteu a dias de paixao,,,dias de carinho em que a gente ficava esperando pelo encontro de uma pessoa especial,,,,aquela coisa bem intima, perfeita ao coração,,,adoro essas recordações assim, me fazem continuar a escrever a vida....abraços e uma bela semana pra ti.

Felina Mulher disse...

Obrigada pelo comentário...um bom domingo pra vc poeta!

Fernanda disse...

Querido amigo Daniel,

Que poema mais lindo a um amor perdido no tempo, mas nunca esquecido.

Como é dia dos namorados vou-lhe deixar o que publiquei hoje nos meus Blogues pessoais. Comecei em Inglês, para o Diverse Texts and Stories, e traduzi-o para Portuduês assim:

O amor é um símbolo de eternidade. Ele apaga o sentido do tempo, destruindo todas as memórias do início e todos os medos de um fim.

Beijinhos e feliz dia dos Namorados.

Whispers disse...

Querido Daniel
Feliz dia do amor
Mil beijos
Rachel

xistosa - (josé torres) disse...

Recordar é viver e reviver, mesmo que a saudade não seja tangível.
Mais um belo poema de evocações passadas.

Um abração.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Não, não é por aí. É a Arte da Vida de quem viveu e muito.
Esta canção é conhecida no mundo inteiro! É a Arte que imita a Vida e não o contrário. E não a publiquei porque é Carnaval. E sim porque é exaltação da Vida. Acho que é preciso estar na sobrevida mesmo, pra compreender.

O que é, o que é?
Eu fico
Com a pureza
Da resposta das crianças
É a vida, é bonita
E é bonita...
Viver!
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz...
Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita...
E a vida!
E a vida o que é?
Diga lá, meu irmão
Ela é a batida
De um coração
Ela é uma doce ilusão
Hê! Hô!...
E a vida
Ela é maravilha
Ou é sofrimento?
Ela é alegria
Ou lamento?
O que é? O que é?
Meu irmão...
Há quem fale
Que a vida da gente
É um nada no mundo
É uma gota, é um tempo
Que nem dá um segundo...
Há quem fale
Que é um divino
Mistério profundo
É o sopro do criador
Numa atitude repleta de amor...
Você diz que é luxo e prazer
Ele diz que a vida é viver
Ela diz que melhor é morrer
Pois amada não é
E o verbo é sofrer...
Eu só sei que confio na moça
E na moça eu ponho a força da fé
Somos nós que fazemos a vida
Como der, ou puder, ou quiser...
Sempre desejada
Por mais que esteja errada
Ninguém quer a morte
Só saúde e sorte...
E a pergunta roda
E a cabeça agita
Eu fico com a pureza
Da resposta das crianças
É a vida, é bonita
E é bonita...


O QUE É, O QUE É?
Gonzaguinha

Beijos
Bom Dia, Daniel.
Renata

Everson Russo disse...

Uma bela semana cercada de muita poesia pra ti amigo...abraços fraternos.

SAM disse...

Querido amigo, adoro ler suas lembranças e emoções registradas aqui de forma tão formidável! Adorei!

Carinhoso beijo